DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 11/04/2019

Mãe das Vocações vai peregrinar por comunidades

Visita festeja um ano da ‘Em Cada Comunidade uma Nova Vocação’

 
Em 2018 a barca foi o símbolo da campanha Cada Comunidade Uma Nova Vocação Em 2018 a barca foi o símbolo da campanha Cada Comunidade Uma Nova Vocação | Crédito: Arquivo AssCom Diocese de Ponta Grossa

      Na Oitava da Páscoa, domingo (28), perto das 16h30, se inicia a segunda etapa da ação evangelizadora Em cada Comunidade uma Nova Vocação na Diocese de Ponta Grossa. 14 imagens de Maria, Mãe das Vocações, vão percorrer todas as comunidades e ficar com as famílias, em média, por uma semana. Representantes das paróquias e do Serviço de Animação Vocacional paroquial estão sendo convocados a vir buscar as imagens. A peregrinação marca o aniversário de um ano da ação evangelizadora, que está baseada em dois pilares: a oração pelas vocações e a divulgação de testemunhos, em vídeos curtos, da vida religiosa, consagrada e sacerdotal.

      De acordo com o padre Osvaldo Pinheiro, coordenador da Pastoral Presbiteral e do Serviço de Animação Vocacional, a ideia é dar um ânimo novo a ação. “Queremos fazer com que a Mãe das Vocações possa percorrer todas as comunidades da Diocese para fazer com que se desperte as comunidades para importância do valor da oração, para que a comunidade se encontre, se organize, para que tenha alguém que reze sempre pelas vocações, motivando, assim, a criação de uma equipe vocacional paroquial”, explica. A imagem pouco conhecida da Maria Mãe das Vocações percorrerá todos os setores da Diocese. Junto com a santa seguirão dois livros, em estilo de ata. Um para registrar a visita, principalmente, através de fotografias, e outro, com uma ficha vocacional para o preenchimento dos dados de adolescentes e jovens interessados em conhecer seminários e conventos.

      “Nos livros, as comunidades vão contar tudo o que foi feito, reuniões, rezas, encontros na presença da imagem. Haverá um livreto com sugestões de orações, terço, rosário e vigília vocacionais, uma celebração mariana para que a comunidade possa se basear. A ficha vocacional percorrerá a Catequese para os jovens e adolescentes que têm interesse em conhecer seminários, conventos deixem o nome lá”,  detalha padre Osvaldo, citando que a ideia é motivar os fieis e fazer com que a imagem seja levada  a escolas, creches, casas de formação e passe o dia nesses lugares. A equipe vocacional de cada comunidade ficará responsável pelo itinerário e atividades. A imagem tem 50 centímetros de altura e seguirá acompanhada de um andor.  

      Para padre Osvaldo, a avaliação é positiva deste primeiro ano da ação evangelizadora. “O povo pegou o gosto pela oração pelas vocações. Algo que sempre precisa estar sendo motivado. Neste livreto de orientação produzido, por exemplo, sugerimos começar as cinco dezenas do rosário sempre com o canto da Mãe das Vocações, que a motivação para as dezenas seja sempre vocacional e que o rosário se encerre com a oração vocacional. Que não seja algo mecânico, mas uma pequena celebração, que aconteça antes das missas, especialmente, no final de semana. É preciso fazer com zelo, com carinho com amor. A proposta da Igreja é suscitar vocações através da oração”, ressalta.


Passos

      Ao fechar as 56 semanas do ano, acontecerá uma nova motivação. “A ideia é que a imagem passe pelas casas, peregrine de modo mais  próximo das famílias. Devemos colocar nas mãos das zeladoras de capelinhas e tentar resgatar uma prática antiga, quando, em maio, as pessoas se reuniam para rezar o terço, todos os dias. Quem sabe conseguimos despertar isso”, adianta padre Osvaldo. Ano que vem, as imagens retornam à Catedral Sant’Ana na Missa do Crisma, na Quinta-Feira Santa. “A grande chave da ação evangelizadora e da peregrinação da imagem é fazer com que a comunidade entenda que não se está atrás de  menino para ser padre ou de meninas para serem religiosas, mas o objetivo primeiro é despertar que toda a Igreja é vocacionada, que todos somos chamados a viver a santidade e que buscamos uma comunidade que viva sua fé, testemunhe os valores do Evangelho. Famílias sólidas, casais fieis, matrimônios bem realizados, de consagrados e sacerdotes que se realizaram em sua vocação. É daí que os jovens vão crescer em terreno fértil e vão responder a sua vocação’

      Sobre as pastorais vocacionais nas paróquias, o coordenador da Pastoral Presbiteral e do Serviço de Animação Vocacional, afirma não ser a favor de se criar novas estruturas. “Não temos pessoas para isso. Temos é que unir forças. O Movimento das Capelinhas, dos Coroinhas e Acólitos, Pastoral da Juventude, Catequese,  movimentos familiares, Pastoral Familiar, todos têm cunho vocacional. Pegar um de cada movimento, cada pastoral e formar a equipe vocacional. Aí, sim, a comunidade vai sempre lembrar e rezar, não só no mês de agosto, mas estar sempre no despertar vocacional”, frisa padre Osvaldo.


  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
|





Publicado em: 11/04/2019

Mãe das Vocações vai peregrinar por comunidades

Visita festeja um ano da ‘Em Cada Comunidade uma Nova Vocação’

 

      Na Oitava da Páscoa, domingo (28), perto das 16h30, se inicia a segunda etapa da ação evangelizadora Em cada Comunidade uma Nova Vocação na Diocese de Ponta Grossa. 14 imagens de Maria, Mãe das Vocações, vão percorrer todas as comunidades e ficar com as famílias, em média, por uma semana. Representantes das paróquias e do Serviço de Animação Vocacional paroquial estão sendo convocados a vir buscar as imagens. A peregrinação marca o aniversário de um ano da ação evangelizadora, que está baseada em dois pilares: a oração pelas vocações e a divulgação de testemunhos, em vídeos curtos, da vida religiosa, consagrada e sacerdotal.

      De acordo com o padre Osvaldo Pinheiro, coordenador da Pastoral Presbiteral e do Serviço de Animação Vocacional, a ideia é dar um ânimo novo a ação. “Queremos fazer com que a Mãe das Vocações possa percorrer todas as comunidades da Diocese para fazer com que se desperte as comunidades para importância do valor da oração, para que a comunidade se encontre, se organize, para que tenha alguém que reze sempre pelas vocações, motivando, assim, a criação de uma equipe vocacional paroquial”, explica. A imagem pouco conhecida da Maria Mãe das Vocações percorrerá todos os setores da Diocese. Junto com a santa seguirão dois livros, em estilo de ata. Um para registrar a visita, principalmente, através de fotografias, e outro, com uma ficha vocacional para o preenchimento dos dados de adolescentes e jovens interessados em conhecer seminários e conventos.

      “Nos livros, as comunidades vão contar tudo o que foi feito, reuniões, rezas, encontros na presença da imagem. Haverá um livreto com sugestões de orações, terço, rosário e vigília vocacionais, uma celebração mariana para que a comunidade possa se basear. A ficha vocacional percorrerá a Catequese para os jovens e adolescentes que têm interesse em conhecer seminários, conventos deixem o nome lá”,  detalha padre Osvaldo, citando que a ideia é motivar os fieis e fazer com que a imagem seja levada  a escolas, creches, casas de formação e passe o dia nesses lugares. A equipe vocacional de cada comunidade ficará responsável pelo itinerário e atividades. A imagem tem 50 centímetros de altura e seguirá acompanhada de um andor.  

      Para padre Osvaldo, a avaliação é positiva deste primeiro ano da ação evangelizadora. “O povo pegou o gosto pela oração pelas vocações. Algo que sempre precisa estar sendo motivado. Neste livreto de orientação produzido, por exemplo, sugerimos começar as cinco dezenas do rosário sempre com o canto da Mãe das Vocações, que a motivação para as dezenas seja sempre vocacional e que o rosário se encerre com a oração vocacional. Que não seja algo mecânico, mas uma pequena celebração, que aconteça antes das missas, especialmente, no final de semana. É preciso fazer com zelo, com carinho com amor. A proposta da Igreja é suscitar vocações através da oração”, ressalta.


Passos

      Ao fechar as 56 semanas do ano, acontecerá uma nova motivação. “A ideia é que a imagem passe pelas casas, peregrine de modo mais  próximo das famílias. Devemos colocar nas mãos das zeladoras de capelinhas e tentar resgatar uma prática antiga, quando, em maio, as pessoas se reuniam para rezar o terço, todos os dias. Quem sabe conseguimos despertar isso”, adianta padre Osvaldo. Ano que vem, as imagens retornam à Catedral Sant’Ana na Missa do Crisma, na Quinta-Feira Santa. “A grande chave da ação evangelizadora e da peregrinação da imagem é fazer com que a comunidade entenda que não se está atrás de  menino para ser padre ou de meninas para serem religiosas, mas o objetivo primeiro é despertar que toda a Igreja é vocacionada, que todos somos chamados a viver a santidade e que buscamos uma comunidade que viva sua fé, testemunhe os valores do Evangelho. Famílias sólidas, casais fieis, matrimônios bem realizados, de consagrados e sacerdotes que se realizaram em sua vocação. É daí que os jovens vão crescer em terreno fértil e vão responder a sua vocação’

      Sobre as pastorais vocacionais nas paróquias, o coordenador da Pastoral Presbiteral e do Serviço de Animação Vocacional, afirma não ser a favor de se criar novas estruturas. “Não temos pessoas para isso. Temos é que unir forças. O Movimento das Capelinhas, dos Coroinhas e Acólitos, Pastoral da Juventude, Catequese,  movimentos familiares, Pastoral Familiar, todos têm cunho vocacional. Pegar um de cada movimento, cada pastoral e formar a equipe vocacional. Aí, sim, a comunidade vai sempre lembrar e rezar, não só no mês de agosto, mas estar sempre no despertar vocacional”, frisa padre Osvaldo.


Diocede Ponta Grossa
Em 2018 a barca foi o símbolo da campanha Cada Comunidade Uma Nova Vocação   |   Arquivo AssCom Diocese de Ponta Grossa


Navegue até a sua Paróquia