DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 12/11/2019

Campanha quer construir escola em Quebo

Ajuda é o novo desafio às crianças da Catequese

 
Flávia distribui as cartilhas para todas as coordenadoras de Catequese: desafio para 2020 Flávia distribui as cartilhas para todas as coordenadoras de Catequese: desafio para 2020 | Crédito: AssCom Diocese de Ponta Grossa

      Lançada durante a Assembleia do Povo de Deus, em setembro, a Ação Missionária Escola para a Missão São Paulo VI do Regional Sul 2 tem a intenção de construir uma escola na missão católica na Diocese de Bafatá, em Guiné Bissau, África. Desde 2014, quando o Regional  assumiu a missão eram três os eixos de ação: evangelização, saúde e educação. “A evangelização está acontecendo; na saúde já foram dados passos e, agora, chegou o momento de atacar a área da educação. Daí surgiu a ideia de construir uma escola lá”, contou a coordenadora diocesana da Pastoral de Animação Bíblico-Catequética, Flávia Carla Nascimento. Obter fundos para ajudar na obra é o desafio das turmas da Catequese em 2020, acrescenta ela.

      A Pastoral recebeu 27 mil cartilhas, que foram entregues aos catequistas, neste domingo (10), e serão repassados a todos catequizandos ano que vem. A intenção, segundo a coordenadora, é que os catequistas realizem o encontro missionário sugerido na cartilha, que deve ocorrer até outubro. “No final do encontro, todo ele orientado pela cartilha com sugestões muito ricas de atividades missionárias, é proposto um gesto concreto. A última página se transforma em um envelope que será usado para fazer a arrecadação e levantar fundos para a obra. O bonito também é que os nomes dos envelopes serão colocados na paredes da escola”, contou.

      Uma campanha muito bonita, prossegue Flávia, na qual tem esperança que as crianças possam ajudar lá também, “continuando nesse processo de catequese samaritana, que faz gestos concretos de ajuda ao próximo”. No lançamento da ação, o casal missionário Pedro e Salete Lang, que passaram quatro anos em Quebo e são da Paróquia Nossa Senhora do Pilar, detalharam a rotina dos primeiros meses da missão africana. Em quatro anos, além de estruturar os trabalhos, ensinando os jovens uma maneira nova de construir, na evangelização, foram deixadas 27 turmas de Catequese, criado o Conselho de Pastoral da Comunidade e implantada a Pastoral do Dízimo.

      Essa é a segunda campanha que a Catequese desenvolve em prol da Missão de Quebo. Em 2017, o Paraná enviou 20 mil bíblias para a Guiné. As crianças da diocese contribuíram com R$ 100 mil, recolhidos junto as 46  paróquias, para a compra das bíblias. “Agora, a expectativa é bem positiva para essa campanha da escola”, enfatizou Flávia Nascimento.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Bispo abençoa presépio dos Arautos   |   Festa faz resgate histórico   |   Diocese envia missionários à Amazônia   |   “Viver a vocação como uma constante missão”   |  





Publicado em: 12/11/2019

Campanha quer construir escola em Quebo

Ajuda é o novo desafio às crianças da Catequese

 

      Lançada durante a Assembleia do Povo de Deus, em setembro, a Ação Missionária Escola para a Missão São Paulo VI do Regional Sul 2 tem a intenção de construir uma escola na missão católica na Diocese de Bafatá, em Guiné Bissau, África. Desde 2014, quando o Regional  assumiu a missão eram três os eixos de ação: evangelização, saúde e educação. “A evangelização está acontecendo; na saúde já foram dados passos e, agora, chegou o momento de atacar a área da educação. Daí surgiu a ideia de construir uma escola lá”, contou a coordenadora diocesana da Pastoral de Animação Bíblico-Catequética, Flávia Carla Nascimento. Obter fundos para ajudar na obra é o desafio das turmas da Catequese em 2020, acrescenta ela.

      A Pastoral recebeu 27 mil cartilhas, que foram entregues aos catequistas, neste domingo (10), e serão repassados a todos catequizandos ano que vem. A intenção, segundo a coordenadora, é que os catequistas realizem o encontro missionário sugerido na cartilha, que deve ocorrer até outubro. “No final do encontro, todo ele orientado pela cartilha com sugestões muito ricas de atividades missionárias, é proposto um gesto concreto. A última página se transforma em um envelope que será usado para fazer a arrecadação e levantar fundos para a obra. O bonito também é que os nomes dos envelopes serão colocados na paredes da escola”, contou.

      Uma campanha muito bonita, prossegue Flávia, na qual tem esperança que as crianças possam ajudar lá também, “continuando nesse processo de catequese samaritana, que faz gestos concretos de ajuda ao próximo”. No lançamento da ação, o casal missionário Pedro e Salete Lang, que passaram quatro anos em Quebo e são da Paróquia Nossa Senhora do Pilar, detalharam a rotina dos primeiros meses da missão africana. Em quatro anos, além de estruturar os trabalhos, ensinando os jovens uma maneira nova de construir, na evangelização, foram deixadas 27 turmas de Catequese, criado o Conselho de Pastoral da Comunidade e implantada a Pastoral do Dízimo.

      Essa é a segunda campanha que a Catequese desenvolve em prol da Missão de Quebo. Em 2017, o Paraná enviou 20 mil bíblias para a Guiné. As crianças da diocese contribuíram com R$ 100 mil, recolhidos junto as 46  paróquias, para a compra das bíblias. “Agora, a expectativa é bem positiva para essa campanha da escola”, enfatizou Flávia Nascimento.


Diocede Ponta Grossa
Flávia distribui as cartilhas para todas as coordenadoras de Catequese: desafio para 2020   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
As cartilhas falam da Missão São João Paulo VI e trazem atividades   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
Na página final da cartilha, o envelope para as contribuições das crianças   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
Salete e Pedro Lang, que estiveram em Quebo por quatro anos, falaram do dia-a-dia da missão   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa


Navegue até a sua Paróquia