DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 26/11/2019

Relíquia de Ozanam fica quatro dias na diocese

Peregrinação nacional quer difundir devoção ao beato

 
O bispo com a relíquia do beato, que caminha para a canonização   O bispo com a relíquia do beato, que caminha para a canonização | Crédito: Conferências Vicentinas

      A relíquia do beato Antônio Frederico Ozanam, fundador da Sociedade São Vicente de Paulo, segue nesta segunda-feira (25) para Palmeira, onde seria recebida na Vila Vicentina, às 10 horas. O pedaço de linho do manto que envolveu o corpo do beato quando de seu sepultamento, em 1853, passou quatro dias na Diocese de Ponta Grossa, chegando, dia 21, à Paróquia São Roque, em Ventania. Depois, ainda peregrinou por conferências no distrito de Barro Preto (Ventania), Curiúva (Diocese de Cornélio Procópio), Telêmaco Borba, Piraí do Sul, Castro e Ponta Grossa, onde visitou os conselhos particulares São Sebastião, Santa Teresinha, Sant’Ana, Nossa Senhora do Rosário, Asilo São  Vicente de Paulo e Vila Vicentina.  

       “Se trata de um pedaço de linho do manto que envolvia o corpo do beato, que pertencia a Ordem Terceira dos Franciscanos e isso era costume na época. No ano de 1929, quando foi exumado o corpo, já em virtude do estudo para sua beatificação, a família doou para o Conselho Geral Internacional um pedaço desse tecido, e, o Conselho repassou um pedacinho dele para os conselhos nacionais montarem uma relíquia, para o fortalecimento da fé dos vicentinos. (o tecido) Está envolto a uma cúpula de vidro, presa em uma estatueta que representa o beato”, explicou o coordenador da Juventude Vicentina do Conselho Central de Ponta Grossa, Pedro Leandro Ferreira, contando que a peregrinação da relíquia iniciou em 2017. Do Paraná ele segue para o Mato Grosso do Sul.

      De acordo com Ferreira, a recepção das relíquias era esperada desde o início do ano. “A expectativa era muito grande porque o beato Ozanam representa exemplo de trabalho e perseverança. Estava tudo preparado para fazer o trabalho junto aos Vicentinos para tentar dar uma reanimada no trabalho na região, que é muito antigo, mas se encontra um tanto desanimado. Tem diminuído cada vez mais o número de Vicentinos. A presença da relíquia faz com que se fortaleça a fé”, avaliou o coordenador.  Ele destacou a emoção com que a relíquia foi recebida em Piraí do Sul, no Lar dos Idosos, e, em Castro, onde aconteceram quatro pequenas celebrações e a missa em ação de graças pelos 100 anos dos Vicentinos no município. A celebração aconteceu na matriz Sant’Ana e foi presidida pelo padre Álvaro Nortok.

      “Com a caminhada das relíquias a expectativa do assessor espiritual nacional, padre Alexandre (Nahass Franco), é que se possa conquistar o milagre que possa levar a canonização de Ozanam, e, só se tornando conhecido é que o povo vai devotar a ele”, comentou Pedro Ferreira. O bispo dom Sergio Arthur Braschi esteve, domingo à tarde, na Casa da Acolhida, na Vila Vicentina, em Ponta Grossa. “O beato Frederico Ozanam é o grande ensinador da caridade,  da solidariedade, das obras sociais, foi quem fundou as conferências de São Vicente de Paulo. Peçamos que, por sua venerável intercessão junto a Cristo, neste dia da vocação dos leigos e leigas, queira abençoar todas as conferências Vicentinas de nossa diocese, todos os homens e mulheres que vivem a caridade e, que pelo batismo e crisma, vivem a sua vida cristã”, ressaltou o bispo, referindo-se ao Dia Nacional dos Cristãos Leigos, comemorado na Festa de Cristo Rei, no último domingo do ano litúrgico

      De Palmeira, nesta terça-feira pela manhã, a relíquia será levada a Tijucas do Sul, onde será entregue a integrantes do Conselho Central de Curitiba.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Bispo abençoa presépio dos Arautos   |   Festa faz resgate histórico   |   Diocese envia missionários à Amazônia   |   “Viver a vocação como uma constante missão”   |  





Publicado em: 26/11/2019

Relíquia de Ozanam fica quatro dias na diocese

Peregrinação nacional quer difundir devoção ao beato

 

      A relíquia do beato Antônio Frederico Ozanam, fundador da Sociedade São Vicente de Paulo, segue nesta segunda-feira (25) para Palmeira, onde seria recebida na Vila Vicentina, às 10 horas. O pedaço de linho do manto que envolveu o corpo do beato quando de seu sepultamento, em 1853, passou quatro dias na Diocese de Ponta Grossa, chegando, dia 21, à Paróquia São Roque, em Ventania. Depois, ainda peregrinou por conferências no distrito de Barro Preto (Ventania), Curiúva (Diocese de Cornélio Procópio), Telêmaco Borba, Piraí do Sul, Castro e Ponta Grossa, onde visitou os conselhos particulares São Sebastião, Santa Teresinha, Sant’Ana, Nossa Senhora do Rosário, Asilo São  Vicente de Paulo e Vila Vicentina.  

       “Se trata de um pedaço de linho do manto que envolvia o corpo do beato, que pertencia a Ordem Terceira dos Franciscanos e isso era costume na época. No ano de 1929, quando foi exumado o corpo, já em virtude do estudo para sua beatificação, a família doou para o Conselho Geral Internacional um pedaço desse tecido, e, o Conselho repassou um pedacinho dele para os conselhos nacionais montarem uma relíquia, para o fortalecimento da fé dos vicentinos. (o tecido) Está envolto a uma cúpula de vidro, presa em uma estatueta que representa o beato”, explicou o coordenador da Juventude Vicentina do Conselho Central de Ponta Grossa, Pedro Leandro Ferreira, contando que a peregrinação da relíquia iniciou em 2017. Do Paraná ele segue para o Mato Grosso do Sul.

      De acordo com Ferreira, a recepção das relíquias era esperada desde o início do ano. “A expectativa era muito grande porque o beato Ozanam representa exemplo de trabalho e perseverança. Estava tudo preparado para fazer o trabalho junto aos Vicentinos para tentar dar uma reanimada no trabalho na região, que é muito antigo, mas se encontra um tanto desanimado. Tem diminuído cada vez mais o número de Vicentinos. A presença da relíquia faz com que se fortaleça a fé”, avaliou o coordenador.  Ele destacou a emoção com que a relíquia foi recebida em Piraí do Sul, no Lar dos Idosos, e, em Castro, onde aconteceram quatro pequenas celebrações e a missa em ação de graças pelos 100 anos dos Vicentinos no município. A celebração aconteceu na matriz Sant’Ana e foi presidida pelo padre Álvaro Nortok.

      “Com a caminhada das relíquias a expectativa do assessor espiritual nacional, padre Alexandre (Nahass Franco), é que se possa conquistar o milagre que possa levar a canonização de Ozanam, e, só se tornando conhecido é que o povo vai devotar a ele”, comentou Pedro Ferreira. O bispo dom Sergio Arthur Braschi esteve, domingo à tarde, na Casa da Acolhida, na Vila Vicentina, em Ponta Grossa. “O beato Frederico Ozanam é o grande ensinador da caridade,  da solidariedade, das obras sociais, foi quem fundou as conferências de São Vicente de Paulo. Peçamos que, por sua venerável intercessão junto a Cristo, neste dia da vocação dos leigos e leigas, queira abençoar todas as conferências Vicentinas de nossa diocese, todos os homens e mulheres que vivem a caridade e, que pelo batismo e crisma, vivem a sua vida cristã”, ressaltou o bispo, referindo-se ao Dia Nacional dos Cristãos Leigos, comemorado na Festa de Cristo Rei, no último domingo do ano litúrgico

      De Palmeira, nesta terça-feira pela manhã, a relíquia será levada a Tijucas do Sul, onde será entregue a integrantes do Conselho Central de Curitiba.


Diocede Ponta Grossa
O bispo com a relíquia do beato, que caminha para a canonização   |   Conferências Vicentinas

Diocede Ponta Grossa
Em Castro, a missa de ação de graças pelos 100 anos dos Vicentinos foi na matriz   |   Conferências Vicentinas

Diocede Ponta Grossa
No Lar dos Idosos, em Piraí do Sul, houve uma celebração com os acolhidos   |   Conferências Vicentinas

Diocede Ponta Grossa
Dom Sergio na Casa da Acolhida, fundada em 2001, pelo bispo dom João Braz de Aviz. Local foi fruto de uma Campanha da Fraternidade, contou   |   Conferências Vicentinas

Diocede Ponta Grossa
A relíquia: exemplo de cristão-católico sempre ligado à questão social   |   Conferências Vicentinas


Navegue até a sua Paróquia