DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 06/01/2020

Folia de Reis é realizada em Ponta Grossa

Centenas de fiéis participaram da procissão cantada que emocionou moradores

 
Estandarte, vestimentas e decoração da Igreja foram confeccionados pela própria comunidade Estandarte, vestimentas e decoração da Igreja foram confeccionados pela própria comunidade | Crédito: Carlos Eduardo/Paróquia Nossa Senhora de Fátima

      A Folia de Reis é comemorada tradicionalmente dia 6 de janeiro, quando celebra-se a Solenidade da Epifania do Senhor. Esta manifestação da religiosidade popular foi comemorada pela primeira vez neste ano na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Ponta Grossa. Incentivada pelo pároco, padre João Holanda, e organizada pela comunidade a Folia de Reis levou mais de 300 fiéis às ruas e casas da Vila Cipa, onde a paróquia está localizada. 

       A novidade mobilizou dezenas de católicos da comunidade Nossa Senhora de Fátima para organizar a procissão cantada. Segunda a coordenadora da comunidade, Kelly Cuimachowicz, a proposta do pároco de realizar a primeira Folia de Reis foi acolhido pelo Conselho Pastoral da Comunidade que envolveu também as outras pastorais como a da Catequese, da Família, da Música, o Serviço de Animação Vocacional e os MECE’s. “Todas as pastorais trabalharam de forma direta ou indireta, cerca de 20 leigos estavam à frente do projeto seja na decoração a igreja, produzindo o estandarte e as vestimentas dos Reis Magos, organizando as casas que foram visitadas e preparando nosso jantar de confraternização”, explicou Kelly.

      Para os moradores foi uma forma de conhecer um pouco mais sobre a tradição da Folia de Reis, que até então só conheciam pela TV. Morador há quarenta anos no mesmo endereço, o senhor Antônio Cochinski, se comoveu com a visita dos cantadores e instrumentistas. “A visita foi mais bonita que eu imaginava, foi o primeiro ano de festa e chegou por primeiro na minha casa, parabenizo o padre João” afirmou senhor Cochinski.

      A senhora Terezinha Carpinski, que cresceu e mora com a família a quase cinquenta anos na Vila Cipa nunca tinha visto nada parecido. “Estou bem emocionada, a gente imagina uma coisa e foi algo muito maior e emocionante. É até difícil de explicar a “lindeza” da procissão”, contou Terezinha.

      Segundo o padre João Holanda, a Folia de Reis significa demonstrar a mesma alegria que os Reis Magos tiveram ao encontrar com o Menino Jesus, em Nazaré. “Nós saímos pelas ruas visitando as casas rezando, cantando e celebrando a vinda do Senhor”, explica o padre João que realizava a Folia anualmente em Minas Gerais, onde era pároco.


Tradição

Em diversas cidades do Brasil vários grupos de Folia de Reis saem batendo de porta em porta, cantando, levando a alegria pela Boa Nova do nascimento do Senhor, recordando a visita dos Reis Magos ao Menino Jesus. Esta é uma tradicional festa trazida pelos colonizadores portugueses no século XVIII e que ainda se mantém viva. Trata-se de uma tradição que, mais do que apenas parte da cultura nacional, é uma grande demonstração da religiosidade popular.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Live atinge mais de 10 mil pessoas   |   Missa do Crisma será no feriado   |   Catedral faz festa pelos seus 197 anos   |   Missa online vai ‘conectar’ jovens   |  





Publicado em: 06/01/2020

Folia de Reis é realizada em Ponta Grossa

Centenas de fiéis participaram da procissão cantada que emocionou moradores

 

      A Folia de Reis é comemorada tradicionalmente dia 6 de janeiro, quando celebra-se a Solenidade da Epifania do Senhor. Esta manifestação da religiosidade popular foi comemorada pela primeira vez neste ano na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Ponta Grossa. Incentivada pelo pároco, padre João Holanda, e organizada pela comunidade a Folia de Reis levou mais de 300 fiéis às ruas e casas da Vila Cipa, onde a paróquia está localizada. 

       A novidade mobilizou dezenas de católicos da comunidade Nossa Senhora de Fátima para organizar a procissão cantada. Segunda a coordenadora da comunidade, Kelly Cuimachowicz, a proposta do pároco de realizar a primeira Folia de Reis foi acolhido pelo Conselho Pastoral da Comunidade que envolveu também as outras pastorais como a da Catequese, da Família, da Música, o Serviço de Animação Vocacional e os MECE’s. “Todas as pastorais trabalharam de forma direta ou indireta, cerca de 20 leigos estavam à frente do projeto seja na decoração a igreja, produzindo o estandarte e as vestimentas dos Reis Magos, organizando as casas que foram visitadas e preparando nosso jantar de confraternização”, explicou Kelly.

      Para os moradores foi uma forma de conhecer um pouco mais sobre a tradição da Folia de Reis, que até então só conheciam pela TV. Morador há quarenta anos no mesmo endereço, o senhor Antônio Cochinski, se comoveu com a visita dos cantadores e instrumentistas. “A visita foi mais bonita que eu imaginava, foi o primeiro ano de festa e chegou por primeiro na minha casa, parabenizo o padre João” afirmou senhor Cochinski.

      A senhora Terezinha Carpinski, que cresceu e mora com a família a quase cinquenta anos na Vila Cipa nunca tinha visto nada parecido. “Estou bem emocionada, a gente imagina uma coisa e foi algo muito maior e emocionante. É até difícil de explicar a “lindeza” da procissão”, contou Terezinha.

      Segundo o padre João Holanda, a Folia de Reis significa demonstrar a mesma alegria que os Reis Magos tiveram ao encontrar com o Menino Jesus, em Nazaré. “Nós saímos pelas ruas visitando as casas rezando, cantando e celebrando a vinda do Senhor”, explica o padre João que realizava a Folia anualmente em Minas Gerais, onde era pároco.


Tradição

Em diversas cidades do Brasil vários grupos de Folia de Reis saem batendo de porta em porta, cantando, levando a alegria pela Boa Nova do nascimento do Senhor, recordando a visita dos Reis Magos ao Menino Jesus. Esta é uma tradicional festa trazida pelos colonizadores portugueses no século XVIII e que ainda se mantém viva. Trata-se de uma tradição que, mais do que apenas parte da cultura nacional, é uma grande demonstração da religiosidade popular.


Diocede Ponta Grossa
Estandarte, vestimentas e decoração da Igreja foram confeccionados pela própria comunidade   |   Carlos Eduardo/Paróquia Nossa Senhora de Fátima

Diocede Ponta Grossa
Padre João Holanda, pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima   |   Carlos Eduardo/Paróquia Nossa Senhora de Fátima

Diocede Ponta Grossa
Violeiros davam o tom da procissão pelos bairros da Vila Cipa   |   Carlos Eduardo/Paróquia Nossa Senhora de Fátima

Diocede Ponta Grossa
Mais de 300 pessoas participaram da Folia de Reis   |   Carlos Eduardo/Paróquia Nossa Senhora de Fátima

Diocede Ponta Grossa
Com muita fé e devoção moradores do entorno da paróquia receberam pela primeira vez a visita da Folia de Reis   |   Carlos Eduardo/Paróquia Nossa Senhora de Fátima


Navegue até a sua Paróquia