DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 25/04/2020

Retomada das celebrações depende da Justiça

Plano de funcionamento foi protocolado nesta sexta

 
As missas com a presença de fiéis serão retomadas assim que ocorra a autorização As missas com a presença de fiéis serão retomadas assim que ocorra a autorização | Crédito: Arquivo AssCom Diocese de Ponta Grossa

      A Diocese de Ponta Grossa protocolou, na tarde de sexta-feira (24), junto ao Comitê Municipal de Gerenciamento das Ações em Decorrência da Pandemia de COVID 19 seu plano para a retomada das celebrações com fiéis em todas as igrejas católicas das 23 paróquias e suas comunidades de Ponta Grossa. Para começar a valer, o plano terá de ser avaliado pelo Comitê de Gerenciamento, o que só terá início depois de manifestação do Ministério Público. O MP solicitou à prefeitura que apresente os critérios técnicos, científicos e epidemiológicos que embasaram a expedição do decreto municipal do dia 22, onde está previsto o funcionamento das igrejas. A manifestação é aguardada para os próximos dias.

      O plano assinado pelo bispo dom Sergio Arthur Braschi prevê que o reinício das atividades religiosas deverá obedecer uma série de normas, entre as quais, o uso de máscaras pelos participantes, o afastamento dos bancos de modo a manter a distância de 1,5m entre as pessoas e a observação da lotação de 30% da capacidade de cada igreja. As recomendações citam ainda a higienização dos bancos antes e após a celebração, bem como higienização dos participantes com álcool em gel, na entrada da igreja.

      Não haverá fila para ofertas nem para a comunhão, de modo que os Ministros irão até os fiéis (um em cada ponta de banco) para levar a Eucaristia, dada exclusivamente na mão do fiel, e com uso de máscaras. Para as ofertas, cada um deixará sua contribuição em local apropriado, sem fila para isso. Também não serão utilizados folhetos para a participação do povo na Liturgia; não haverá cumprimento de mãos, oração de mãos dadas, nem abraço da paz.

      As equipes de Liturgia e Canto devem estar dispostas com o devido afastamento e seguindo todos os cuidados, e se sugere que os representantes da Pastoral da Acolhida ou de Saúde (duas ou três pessoas) fiquem encarregadas de observar, vigiar e chamar a atenção de quem esteja sem máscara, muito próximo dos outros ou promovendo grupos de conversa no ambiente da igreja. As celebrações devem ser breves, com duração de 40 minutos no caso das missas dominicais, por exemplo.

      As recomendações são dirigidas igualmente a sacerdotes e fiéis das demais 16 cidades da diocese, respeitando as normas das autoridades municipais. Dom Sergio lembra, antes de tudo, o comprometimento da Igreja na defesa da vida humana, ‘Dom e Compromisso’. “Portanto nossas decisões brotam da preocupação com a proteção das pessoas, especialmente dos idosos e grupos de risco, que não podemos em absoluto expor ao contágio. A nossos queridos fiéis idosos, às crianças, e a todos que não tenham absoluta necessidade de sair, repetimos mais uma vez: fique em casa! Infelizmente, não podemos ainda ‘baixar a guarda’, achando que o pior já passou em nossa região e em todo o país”, enfatiza o bispo.

      Dom Sergio argumenta que toma a decisão de retomar as celebrações presenciais por compreender o quanto é difícil para muitos fiéis a privação da Santa Missa e da sagrada comunhão. “Vimos de encontro ao Decreto emanado pelas prefeituras de Ponta Grossa, Irati e outros municípios que formam nossa Diocese e, para facilitar o cumprimento das normas sugerimos que se mantenham os horários costumeiros nas matrizes e capelas maiores, ou que se ofereçam mais opções, ao menos dois horários aos domingos, por exemplo às 10 horas e 16h30, uma vez que entramos no tempo mais frio. Crianças e idosos são convidados a permanecer em casa, participando pelos meios e redes sociais, e oferecendo o sacrifício deste ‘deserto com Jesus’.

      Assim que o plano de funcionamento seja analisado e aprovado, cada paróquia definirá suas estratégias, de horários e procedimentos a serem adotados. A Paróquia São Sebastião/Santuário de Nossa Senhora Aparecida, em Ponta Grossa, deverá abrir, primeiramente, só a matriz aberta e aumentará o número de missas. A Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, de Irati, terá sete missas no final de semana e contará o número de participantes no portão.


  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Setor Juventude realiza ‘II Conecta’   |   ‘Colaborar com a missão é presentear Jesus’   |   Campanha da Fraternidade será ecumênica   |   Missa acolhe relíquia de São João Paulo II   |  





Publicado em: 25/04/2020

Retomada das celebrações depende da Justiça

Plano de funcionamento foi protocolado nesta sexta

 

      A Diocese de Ponta Grossa protocolou, na tarde de sexta-feira (24), junto ao Comitê Municipal de Gerenciamento das Ações em Decorrência da Pandemia de COVID 19 seu plano para a retomada das celebrações com fiéis em todas as igrejas católicas das 23 paróquias e suas comunidades de Ponta Grossa. Para começar a valer, o plano terá de ser avaliado pelo Comitê de Gerenciamento, o que só terá início depois de manifestação do Ministério Público. O MP solicitou à prefeitura que apresente os critérios técnicos, científicos e epidemiológicos que embasaram a expedição do decreto municipal do dia 22, onde está previsto o funcionamento das igrejas. A manifestação é aguardada para os próximos dias.

      O plano assinado pelo bispo dom Sergio Arthur Braschi prevê que o reinício das atividades religiosas deverá obedecer uma série de normas, entre as quais, o uso de máscaras pelos participantes, o afastamento dos bancos de modo a manter a distância de 1,5m entre as pessoas e a observação da lotação de 30% da capacidade de cada igreja. As recomendações citam ainda a higienização dos bancos antes e após a celebração, bem como higienização dos participantes com álcool em gel, na entrada da igreja.

      Não haverá fila para ofertas nem para a comunhão, de modo que os Ministros irão até os fiéis (um em cada ponta de banco) para levar a Eucaristia, dada exclusivamente na mão do fiel, e com uso de máscaras. Para as ofertas, cada um deixará sua contribuição em local apropriado, sem fila para isso. Também não serão utilizados folhetos para a participação do povo na Liturgia; não haverá cumprimento de mãos, oração de mãos dadas, nem abraço da paz.

      As equipes de Liturgia e Canto devem estar dispostas com o devido afastamento e seguindo todos os cuidados, e se sugere que os representantes da Pastoral da Acolhida ou de Saúde (duas ou três pessoas) fiquem encarregadas de observar, vigiar e chamar a atenção de quem esteja sem máscara, muito próximo dos outros ou promovendo grupos de conversa no ambiente da igreja. As celebrações devem ser breves, com duração de 40 minutos no caso das missas dominicais, por exemplo.

      As recomendações são dirigidas igualmente a sacerdotes e fiéis das demais 16 cidades da diocese, respeitando as normas das autoridades municipais. Dom Sergio lembra, antes de tudo, o comprometimento da Igreja na defesa da vida humana, ‘Dom e Compromisso’. “Portanto nossas decisões brotam da preocupação com a proteção das pessoas, especialmente dos idosos e grupos de risco, que não podemos em absoluto expor ao contágio. A nossos queridos fiéis idosos, às crianças, e a todos que não tenham absoluta necessidade de sair, repetimos mais uma vez: fique em casa! Infelizmente, não podemos ainda ‘baixar a guarda’, achando que o pior já passou em nossa região e em todo o país”, enfatiza o bispo.

      Dom Sergio argumenta que toma a decisão de retomar as celebrações presenciais por compreender o quanto é difícil para muitos fiéis a privação da Santa Missa e da sagrada comunhão. “Vimos de encontro ao Decreto emanado pelas prefeituras de Ponta Grossa, Irati e outros municípios que formam nossa Diocese e, para facilitar o cumprimento das normas sugerimos que se mantenham os horários costumeiros nas matrizes e capelas maiores, ou que se ofereçam mais opções, ao menos dois horários aos domingos, por exemplo às 10 horas e 16h30, uma vez que entramos no tempo mais frio. Crianças e idosos são convidados a permanecer em casa, participando pelos meios e redes sociais, e oferecendo o sacrifício deste ‘deserto com Jesus’.

      Assim que o plano de funcionamento seja analisado e aprovado, cada paróquia definirá suas estratégias, de horários e procedimentos a serem adotados. A Paróquia São Sebastião/Santuário de Nossa Senhora Aparecida, em Ponta Grossa, deverá abrir, primeiramente, só a matriz aberta e aumentará o número de missas. A Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, de Irati, terá sete missas no final de semana e contará o número de participantes no portão.


Diocede Ponta Grossa
As missas com a presença de fiéis serão retomadas assim que ocorra a autorização   |   Arquivo AssCom Diocese de Ponta Grossa


Navegue até a sua Paróquia