DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 20/05/2020

Máscara: evangelizando ao se proteger

Catequese vende cinco opções de estampa

 
Um dos modelos traz a medalha de São Bento, protetor contra os males Um dos modelos traz a medalha de São Bento, protetor contra os males | Crédito: Divulgação

      O uso de máscaras é obrigatório por lei. Mais que obrigação, a proteção facial vem sendo apontada como uma medida importante para evitar a infecção do novo coronavírus. Com a ampliação da pandemia, essa atitude passou a ser tratada como política pública de prefeituras e governos estaduais. E por que não aproveitar a adoção deste recurso de prevenção também para evangelizar? É o que está propiciando a Diocese de Ponta Grossa, por intermédio do Centro de Catequese, que está comercializando máscaras com temas religiosos, em cinco belas opções de estampas.

      Nossa Senhora Aparecida (dois modelos), São Bento, Nossa Senhora das Graças e Sagrado Coração de Jesus aparecem nas máscaras, que são vendidas, sob encomenda, a R$ 8 a unidade, R$ 35 o kit com cinco máscaras e R$ 60 o kit com dez. As encomendas são feitas pelo telefone 3222-6722 ou pelo whatsApp 9 99493267. As máscaras levam três dias para serem confeccionadas. A entrega é feita no Centro Diocesano de Catequese, mediante o pagamento. As máscaras são de malha poliviscose, camada dupla, com elástico branco de 0,7 milímetros.

      “Tive a ideia ao ver uma entrevista na televisão, onde a pessoa de uma paróquia de Curitiba aparecia com uma máscara, com a imagem de Nossa Senhora. Achei bem interessante, diferente e resolvi me informar na empresa que confeccionas camisetas da Catequese se produziriam as máscaras”, conta a coordenadora diocesana da Pastoral Bíblica-Catequética, Flávia Carla Nascimento, citando que resolveu oferecer aos catequistas e postar na página da Catequese no Facebook. O sucesso foi imediato. De sexta-feira (15) até esta terça foram 100 máscaras encomendadas.

      Segundo a coordenadora, o intuito maior é evangelizar através das estampas. “Unir saúde e espiritualidade, como fez a entrevistada naquela reportagem: ela conseguiu evangelizar sem falar diretamente de Jesus. Mas, sim, pela simples estampa”, ressalta Flávia, que tentou comprar tecido pronto para fazer as máscaras, mas não encontrou. Foi daí que pensou na possibilidade de imprimir, especialidade da Artesilk. “Chegamos à estampa pelo processo de sublimação, eu tinjo o tecido”, explica o empresário Sérgio Kriki, que não confeccionava máscaras antes da pandemia. “Começamos a produzir devido a procura”.

      Apenas uma catequista de Castro, Edna Megumi Kayano, encomendou 50 máscaras, dez de cada estampa. “Pensei em ofertar as máscaras para nossos catequistas. E por acreditar na proteção de Nossa Senhora e dos santos, nada melhor que essas máscaras, neste momento estranho, que estamos passando”, justifica Edna. A ideia, conforme ela, era dar um mimo e demonstrar carinho e cuidado. “São pessoas tão queridas, que se ocupam de levar os ensinamentos de Deus aos demais. Na paróquia toda, temos 48 catequistas, mas sempre tem mais pessoas que ajudam”, cita. Edna é coordenadora de Catequese na Paróquia São Judas Tadeu.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Grupo Jovens da Luz realiza live   |   Grupo Jovens da Luz realiza live   |   Missas com a presença de fiéis são autorizadas em toda a diocese   |   Sacrário de santuário receberá benção   |  





Publicado em: 20/05/2020

Máscara: evangelizando ao se proteger

Catequese vende cinco opções de estampa

 

      O uso de máscaras é obrigatório por lei. Mais que obrigação, a proteção facial vem sendo apontada como uma medida importante para evitar a infecção do novo coronavírus. Com a ampliação da pandemia, essa atitude passou a ser tratada como política pública de prefeituras e governos estaduais. E por que não aproveitar a adoção deste recurso de prevenção também para evangelizar? É o que está propiciando a Diocese de Ponta Grossa, por intermédio do Centro de Catequese, que está comercializando máscaras com temas religiosos, em cinco belas opções de estampas.

      Nossa Senhora Aparecida (dois modelos), São Bento, Nossa Senhora das Graças e Sagrado Coração de Jesus aparecem nas máscaras, que são vendidas, sob encomenda, a R$ 8 a unidade, R$ 35 o kit com cinco máscaras e R$ 60 o kit com dez. As encomendas são feitas pelo telefone 3222-6722 ou pelo whatsApp 9 99493267. As máscaras levam três dias para serem confeccionadas. A entrega é feita no Centro Diocesano de Catequese, mediante o pagamento. As máscaras são de malha poliviscose, camada dupla, com elástico branco de 0,7 milímetros.

      “Tive a ideia ao ver uma entrevista na televisão, onde a pessoa de uma paróquia de Curitiba aparecia com uma máscara, com a imagem de Nossa Senhora. Achei bem interessante, diferente e resolvi me informar na empresa que confeccionas camisetas da Catequese se produziriam as máscaras”, conta a coordenadora diocesana da Pastoral Bíblica-Catequética, Flávia Carla Nascimento, citando que resolveu oferecer aos catequistas e postar na página da Catequese no Facebook. O sucesso foi imediato. De sexta-feira (15) até esta terça foram 100 máscaras encomendadas.

      Segundo a coordenadora, o intuito maior é evangelizar através das estampas. “Unir saúde e espiritualidade, como fez a entrevistada naquela reportagem: ela conseguiu evangelizar sem falar diretamente de Jesus. Mas, sim, pela simples estampa”, ressalta Flávia, que tentou comprar tecido pronto para fazer as máscaras, mas não encontrou. Foi daí que pensou na possibilidade de imprimir, especialidade da Artesilk. “Chegamos à estampa pelo processo de sublimação, eu tinjo o tecido”, explica o empresário Sérgio Kriki, que não confeccionava máscaras antes da pandemia. “Começamos a produzir devido a procura”.

      Apenas uma catequista de Castro, Edna Megumi Kayano, encomendou 50 máscaras, dez de cada estampa. “Pensei em ofertar as máscaras para nossos catequistas. E por acreditar na proteção de Nossa Senhora e dos santos, nada melhor que essas máscaras, neste momento estranho, que estamos passando”, justifica Edna. A ideia, conforme ela, era dar um mimo e demonstrar carinho e cuidado. “São pessoas tão queridas, que se ocupam de levar os ensinamentos de Deus aos demais. Na paróquia toda, temos 48 catequistas, mas sempre tem mais pessoas que ajudam”, cita. Edna é coordenadora de Catequese na Paróquia São Judas Tadeu.


Diocede Ponta Grossa
Um dos modelos traz a medalha de São Bento, protetor contra os males   |   Divulgação

Diocede Ponta Grossa
A padroeira do Brasil tem modelos diferentes de estampa   |   Divulgação

Diocede Ponta Grossa
As estampas trazem as mais variadas devoções   |   Divulgação


Navegue até a sua Paróquia