DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 13/06/2020

A emoção de um Corpus Christi diferente

Santíssimo levado ao encontro do povo

 
A primeira bênção foi no Asilo São Vicente de Paulo A primeira bênção foi no Asilo São Vicente de Paulo | Crédito: Guilherme Queiroz

      “Estou muito feliz por levar Jesus, que é fonte e de vida, por toda a cidade” A frase do bispo dom Sergio Arthur Braschi resume o que foi a celebração de Corpus Christi este ano: emoção. Impossibilitados de irem às ruas, confeccionar os tradicionais tapetes e acompanhar o Santíssimo, os católicos ouviram pela Rádio Sant’Ana FM 89,7 assistiram pelo Facebook da Diocese de Ponta Grossa e esperaram em frente de casa ou dos sete hospitais da cidade a passagem de Jesus Eucarístico. O ostensório com a Sagrada Eucaristia saiu da Paróquia São José, percorreu o centro e a periferia nas mãos de dom Sergio, em um ‘bispo-móvel’, uma caminhoneta especialmente preparada para a solene missão.     

      Foram mais de três horas de trajeto, que teve como ponto de partida, este ano, a igreja São José/Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, passou pelo Asilo São Vicente de Paulo, Hospital Bom Jesus, Hospital da Criança, Santa Casa, Hospital São Camilo, Hospital Regional, Hospital Unimed e Pronto Socorro. O carinho do Povo de Deus pode ser sentido já na saída, com o corredor central da igreja todo ornamentado com coloridos cartazes, mensagens de amor confeccionadas por crianças da Catequese.  E se repetiu por todo o caminho. Eram cartazes, flores, pequenos altares, como o que foi montado em frente ao Hospital Regional, referência para o tratamento de Covid-19 na região.  

      “Todos os anos, no dia de Corpus Christi, Jesus percorre as avenidas da cidade, no centro, mas, este ano, está indo pelos bairros, levando sua presença santificadora aos hospitais, e, não somente ao pessoal médico, enfermeiros, funcionários, mas a todas as famílias da periferia”, comentou o bispo, ao sair do Regional. O diretor do hospital, Everson Krum, muito emocionado, fez questão de ir até dom Sergio, agradecer pela benção. “Eu mesmo, como todos nós, pedimos a Deus pelos doentes, para que recuperem a saúde, pelos que trabalham aqui, que sejam iluminados. Deus traga conforto e trabalhe pelo bem de todos nós”, dizia aos prantos.

      A celebração de Corpus Christi foi transmitida em tempo real pelo Facebook da Diocese de Ponta Grossa. Durante a transmissão, foram mais de 80 mil pessoas alcançadas, 48 mil visualizações, 705 compartilhamentos e 3.097 comentários emocionados feitos por pessoas que assistiam de várias cidades do Brasil. “Está sendo uma procissão que será inesquecível para nós”, afirmava Rozi Mara Rogoski. “É a primeira vez que vivo tão intensamente este momento”, citava Lourdes Macedo. “Linda experiência com Jesus! Muito obrigada e Deus os abençoe por organizarem tudo”, agradecia Carmen Lúcia Ditzel. “Em Região Metropolitana de Curitiba, Campo Magro, vivendo este momento de graças”, contava Renato Dutra. “Muito feliz por participar junto com a diocese de Ponta Grossa aqui de Pontal do Paraná. Deus abençoe a todos”, escreveu Silvana de Oliveira. A celebração em 2020 teve como gesto concreto a arrecadação de dinheiro para a manutenção do Projeto Igrejas-Irmãs, em que a diocese auxilia a Prelazia de Lábrea, com a administração da Paróquia São João Batista, de Canutama (AM), onde estão os padres diocesanos José Nilson Santos e Osvaldo Pinheiro. As doações feitas pelo QR Code, que aparecia durante a transmissão, totalizaram R$ 670.  

      Uma equipe de animação e reflexão ficou centralizada na Catedral Sant’Ana. Composto pelos padres Glauco de Camargo Pinto, Kleber Pacheco e Delsi Zamboni, o grupo conduziu as orações e refletiu a partir do tema da Campanha da Fraternidade, ‘Fraternidade e Vida: dom e Compromisso, e, da prioridade diocesana ‘Igreja e família de portas abertas na cultura urbana’, com os quatro pilares Palavra, Pão, Caridade e Missão. No segundo carro que acompanhou o ‘bispo-móvel’, estavam os padres Joel Nalepa, coordenador diocesano da Ação Evangelizadora, e Mário Dwulatka, ecônomo da diocese. A adaptação e condução da caminhoneta que levou o ostensório foram oferecidas por Esquadria Vila Liane e Afabrica Acrílicos, em ação intermediada pelo padre Claudemir Nascimento, pároco da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

      A celebração encerrou-se na catedral, onde foi feita a bênção para toda cidade e para a diocese. A igreja-mãe estava, igualmente, com o corredor principal ornamentado com trabalhos de catequizandos. No altar, dom Sergio se utilizou do genuflexório de dom Antônio Mazzarotto, primeiro bispo da diocese. A peça foi trazida do museu da paróquia especialmente para a oração deste dia de Corpus Christi. “Foi uma emoção muito grande. Só tenho a agradecer ao povo de Deus e a todos que acompanharam e que, de algum modo, possibilitaram essa celebração tão diferente e que ficará para sempre na história dessa Igreja”, afirmou dom Sergio.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Feira angaria fundos para o João XXIII   |   São João ganha ‘live arraiá’   |   Catedral ganha imagem restaurada de Sant’Ana   |   Paroquianos celebram sua padroeira   |  





Publicado em: 13/06/2020

A emoção de um Corpus Christi diferente

Santíssimo levado ao encontro do povo

 

      “Estou muito feliz por levar Jesus, que é fonte e de vida, por toda a cidade” A frase do bispo dom Sergio Arthur Braschi resume o que foi a celebração de Corpus Christi este ano: emoção. Impossibilitados de irem às ruas, confeccionar os tradicionais tapetes e acompanhar o Santíssimo, os católicos ouviram pela Rádio Sant’Ana FM 89,7 assistiram pelo Facebook da Diocese de Ponta Grossa e esperaram em frente de casa ou dos sete hospitais da cidade a passagem de Jesus Eucarístico. O ostensório com a Sagrada Eucaristia saiu da Paróquia São José, percorreu o centro e a periferia nas mãos de dom Sergio, em um ‘bispo-móvel’, uma caminhoneta especialmente preparada para a solene missão.     

      Foram mais de três horas de trajeto, que teve como ponto de partida, este ano, a igreja São José/Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, passou pelo Asilo São Vicente de Paulo, Hospital Bom Jesus, Hospital da Criança, Santa Casa, Hospital São Camilo, Hospital Regional, Hospital Unimed e Pronto Socorro. O carinho do Povo de Deus pode ser sentido já na saída, com o corredor central da igreja todo ornamentado com coloridos cartazes, mensagens de amor confeccionadas por crianças da Catequese.  E se repetiu por todo o caminho. Eram cartazes, flores, pequenos altares, como o que foi montado em frente ao Hospital Regional, referência para o tratamento de Covid-19 na região.  

      “Todos os anos, no dia de Corpus Christi, Jesus percorre as avenidas da cidade, no centro, mas, este ano, está indo pelos bairros, levando sua presença santificadora aos hospitais, e, não somente ao pessoal médico, enfermeiros, funcionários, mas a todas as famílias da periferia”, comentou o bispo, ao sair do Regional. O diretor do hospital, Everson Krum, muito emocionado, fez questão de ir até dom Sergio, agradecer pela benção. “Eu mesmo, como todos nós, pedimos a Deus pelos doentes, para que recuperem a saúde, pelos que trabalham aqui, que sejam iluminados. Deus traga conforto e trabalhe pelo bem de todos nós”, dizia aos prantos.

      A celebração de Corpus Christi foi transmitida em tempo real pelo Facebook da Diocese de Ponta Grossa. Durante a transmissão, foram mais de 80 mil pessoas alcançadas, 48 mil visualizações, 705 compartilhamentos e 3.097 comentários emocionados feitos por pessoas que assistiam de várias cidades do Brasil. “Está sendo uma procissão que será inesquecível para nós”, afirmava Rozi Mara Rogoski. “É a primeira vez que vivo tão intensamente este momento”, citava Lourdes Macedo. “Linda experiência com Jesus! Muito obrigada e Deus os abençoe por organizarem tudo”, agradecia Carmen Lúcia Ditzel. “Em Região Metropolitana de Curitiba, Campo Magro, vivendo este momento de graças”, contava Renato Dutra. “Muito feliz por participar junto com a diocese de Ponta Grossa aqui de Pontal do Paraná. Deus abençoe a todos”, escreveu Silvana de Oliveira. A celebração em 2020 teve como gesto concreto a arrecadação de dinheiro para a manutenção do Projeto Igrejas-Irmãs, em que a diocese auxilia a Prelazia de Lábrea, com a administração da Paróquia São João Batista, de Canutama (AM), onde estão os padres diocesanos José Nilson Santos e Osvaldo Pinheiro. As doações feitas pelo QR Code, que aparecia durante a transmissão, totalizaram R$ 670.  

      Uma equipe de animação e reflexão ficou centralizada na Catedral Sant’Ana. Composto pelos padres Glauco de Camargo Pinto, Kleber Pacheco e Delsi Zamboni, o grupo conduziu as orações e refletiu a partir do tema da Campanha da Fraternidade, ‘Fraternidade e Vida: dom e Compromisso, e, da prioridade diocesana ‘Igreja e família de portas abertas na cultura urbana’, com os quatro pilares Palavra, Pão, Caridade e Missão. No segundo carro que acompanhou o ‘bispo-móvel’, estavam os padres Joel Nalepa, coordenador diocesano da Ação Evangelizadora, e Mário Dwulatka, ecônomo da diocese. A adaptação e condução da caminhoneta que levou o ostensório foram oferecidas por Esquadria Vila Liane e Afabrica Acrílicos, em ação intermediada pelo padre Claudemir Nascimento, pároco da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

      A celebração encerrou-se na catedral, onde foi feita a bênção para toda cidade e para a diocese. A igreja-mãe estava, igualmente, com o corredor principal ornamentado com trabalhos de catequizandos. No altar, dom Sergio se utilizou do genuflexório de dom Antônio Mazzarotto, primeiro bispo da diocese. A peça foi trazida do museu da paróquia especialmente para a oração deste dia de Corpus Christi. “Foi uma emoção muito grande. Só tenho a agradecer ao povo de Deus e a todos que acompanharam e que, de algum modo, possibilitaram essa celebração tão diferente e que ficará para sempre na história dessa Igreja”, afirmou dom Sergio.


Diocede Ponta Grossa
A primeira bênção foi no Asilo São Vicente de Paulo   |   Guilherme Queiroz

Diocede Ponta Grossa
Do ‘bispo-móvel’ dom Sergio saldava e abençoava a todos   |   Telma Regina Crepaldi

Diocede Ponta Grossa
No Pronto Socorro   |   Guilherme Queiroz

Diocede Ponta Grossa
Bênção na Unimed   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
Hospital da Criança   |   Guilherme Queiroz

Diocede Ponta Grossa
Abençoando a Santa Casa   |   Guilherme Queiroz

Diocede Ponta Grossa
No Hospital Bom Jesus, funcionários a religiosas aguardavam a bênção   |   Telma Regina Crepaldi

Diocede Ponta Grossa
Funcionários aguardavam em frente ao Hospital São Camilo   |   Telma Regina Crepaldi

Diocede Ponta Grossa
Muita emoção na passagem pelo Hospital Regional   |   Telma Regina Crepaldi

Diocede Ponta Grossa
Professor Everson Krum, vice-reitor da UEPG e diretor do Hospital Regional, estava muito emocionado   |   Guilherme Queiroz


Navegue até a sua Paróquia