DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 17/06/2021

Igrejas se iluminam de violeta pelo idoso

Diocese adere à campanha contra a violência

 
A frente da igreja está iluminada de violeta A frente da igreja está iluminada de violeta | Crédito: Paróquia São Cristóvão

A Campanha de Sensibilização Contra a Violência à Pessoa Idosa, foi aberta com uma live, na terça-feira (15). O tema ‘A violação de direitos e a violência contra a pessoa idosa’ foi abordado pela defensora pública de São Paulo e coordenadora do Núcleo dos Direitos da Pessoa Idosa e da Pessoa com Deficiência, Renata Tibyriçá. As igrejas católicas, já na terça-feira, se iluminaram de violeta e estamparam faixas em sinal de apoio ao movimento. Aderiram inicialmente à campanha as paróquias Santa Teresinha, São Cristóvão, São José, Nossa Senhora do Rosário e São Jorge, em Ponta Grossa, e Nossa Senhora de Fátima, de Telêmaco Borba.

     A Diocese de Ponta Grossa é uma das apoiadoras do ‘Sensibiliza Campos Gerais’, programado para entre os dias 15 e 30 deste mês, como forma de mobilizar a sociedade para a prevenção de atos de violência e conscientizar sobre a necessidade da valorização da pessoa idosa. As igrejas, além de iluminarem suas fachadas de violenta, fixaram banners e cartazes, alertando para a necessidade da mudança de atitudes em relação ao idoso. 

     A professora Maria Iolanda de Oliveira, coordenadora do Núcleo de Assistência Social, Jurídica e de Estudos sobre a Pessoa idosa, da Universidade Estadual de Ponta Grossa, ainda detalhará a Campanha aos paroquianos das igrejas Nossa Senhora do Rosário e da São Jorge, no final de semana. Na Paróquia São Cristóvão, a ação será explicada aos fiéis, ao final das missas. Em Telêmaco, a Paróquia Nossa Senhora de Fátima, o pároco padre Primo Aparecido Hipólito falou sobre o ‘Junho Violeta’ na novena das 15 horas e pediu apoio de todos. Na quarta-feira, foram enfeitados os canteiros da Igreja Matriz e, nesta quinta, seria instalada a iluminação do templo de Adoração e do interior da Matriz e das capelas, que ficará acesa durante as celebrações.

      “Que ótimo esse engajamento dos padres. Isso dá mais força à Campanha. E as comunidades paroquiais precisam se preparar para o envelhecimento. Afinal, logo, logo os paroquianos em maioria não serão os jovens e adultos”, comentou a professora Maria Iolanda, que falou também sobre o movimento em entrevista, na quarta-feira, à Rádio Sant’Anna. Representantes das entidades promotoras da Campanha - Núcleo de Assistência Social, Jurídica e de Estudos sobre a Pessoa, Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa e escritório regional da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho – estiveram explicando os seus objetivos na Câmara Municipal de Vereadores.

     Para o coordenador diocesano da Pastoral da Pessoa Idosa, Luiz Afonso Freytag, a violência contra os idosos, se ignorada, pode provocar o fim das histórias passadas e a prospecção de um triste futuro para o envelhecimento mundial. “A Organização Mundial da Saúde define a violência contra o idoso como um ato de acometimento ou omissão, que pode ser tanto intencional como involuntário. O Ministério da Saúde validou o termo ‘maus tratos’ contra o idoso como ações únicas ou repetidas que causam sofrimento ou angústia, ou, ainda a ausência de ações que são devidas numa relação em que haja expectativa de confiança. A maioria dos agressores são da própria família, tornando a denúncia por parte do idoso mais difícil”, enumera o coordenador.

     De acordo com Freytag, são muitos os casos de omissão ou negligência que ocorrem pela exclusiva falta de orientação adequada aos familiares ou dos cuidadores de idosos. “O Estatuto do Idoso tem o intuito de regular os direitos assegurados às pessoas com mais de 60 anos, mas também precisam ser trabalhados. Nós encontramos muitos tipos de violência contra o idoso. A física é a forma mais perceptiva aos olhos. Agressões verbais, tratar com menosprezo, desprezo, ou qualquer ação que traga sofrimento emocional, como humilhação, afastamento do convívio com familiares ou restrição de liberdade de expressão caracteriza a violência é a psicológica. Há ainda o abandono, o abuso financeiro, a violência patrimonial e a sexual”, acrescenta. 

     Sobre este tema, a Pastoral da Pessoa Idosa tem como objetivo assegurar a dignidade e valorização integral das pessoas idosas, através da promoção humana, espiritual, respeitando os seus direitos em um processo educativo de formação continuada destas, de suas famílias e de suas comunidades. “Repudiando qualquer forma de violência contra a pessoa idosa. Se fala muito em relação a violência contra o idoso, mas se faz muito pouco. Se esquece de faze o trabalho de casa ou próximo ao idoso. Essas são as grandes dificuldades que temos em relação a esse assunto”



  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Retiro de diáconos é aberto a esposas   |   Liga Católica, única do Paraná   |   Missa acolhe relíquia São João Paulo II   |   Dom Sergio lembra vida do Papa Santo   |  





Publicado em: 17/06/2021

Igrejas se iluminam de violeta pelo idoso

Diocese adere à campanha contra a violência

 

A Campanha de Sensibilização Contra a Violência à Pessoa Idosa, foi aberta com uma live, na terça-feira (15). O tema ‘A violação de direitos e a violência contra a pessoa idosa’ foi abordado pela defensora pública de São Paulo e coordenadora do Núcleo dos Direitos da Pessoa Idosa e da Pessoa com Deficiência, Renata Tibyriçá. As igrejas católicas, já na terça-feira, se iluminaram de violeta e estamparam faixas em sinal de apoio ao movimento. Aderiram inicialmente à campanha as paróquias Santa Teresinha, São Cristóvão, São José, Nossa Senhora do Rosário e São Jorge, em Ponta Grossa, e Nossa Senhora de Fátima, de Telêmaco Borba.

     A Diocese de Ponta Grossa é uma das apoiadoras do ‘Sensibiliza Campos Gerais’, programado para entre os dias 15 e 30 deste mês, como forma de mobilizar a sociedade para a prevenção de atos de violência e conscientizar sobre a necessidade da valorização da pessoa idosa. As igrejas, além de iluminarem suas fachadas de violenta, fixaram banners e cartazes, alertando para a necessidade da mudança de atitudes em relação ao idoso. 

     A professora Maria Iolanda de Oliveira, coordenadora do Núcleo de Assistência Social, Jurídica e de Estudos sobre a Pessoa idosa, da Universidade Estadual de Ponta Grossa, ainda detalhará a Campanha aos paroquianos das igrejas Nossa Senhora do Rosário e da São Jorge, no final de semana. Na Paróquia São Cristóvão, a ação será explicada aos fiéis, ao final das missas. Em Telêmaco, a Paróquia Nossa Senhora de Fátima, o pároco padre Primo Aparecido Hipólito falou sobre o ‘Junho Violeta’ na novena das 15 horas e pediu apoio de todos. Na quarta-feira, foram enfeitados os canteiros da Igreja Matriz e, nesta quinta, seria instalada a iluminação do templo de Adoração e do interior da Matriz e das capelas, que ficará acesa durante as celebrações.

      “Que ótimo esse engajamento dos padres. Isso dá mais força à Campanha. E as comunidades paroquiais precisam se preparar para o envelhecimento. Afinal, logo, logo os paroquianos em maioria não serão os jovens e adultos”, comentou a professora Maria Iolanda, que falou também sobre o movimento em entrevista, na quarta-feira, à Rádio Sant’Anna. Representantes das entidades promotoras da Campanha - Núcleo de Assistência Social, Jurídica e de Estudos sobre a Pessoa, Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa e escritório regional da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho – estiveram explicando os seus objetivos na Câmara Municipal de Vereadores.

     Para o coordenador diocesano da Pastoral da Pessoa Idosa, Luiz Afonso Freytag, a violência contra os idosos, se ignorada, pode provocar o fim das histórias passadas e a prospecção de um triste futuro para o envelhecimento mundial. “A Organização Mundial da Saúde define a violência contra o idoso como um ato de acometimento ou omissão, que pode ser tanto intencional como involuntário. O Ministério da Saúde validou o termo ‘maus tratos’ contra o idoso como ações únicas ou repetidas que causam sofrimento ou angústia, ou, ainda a ausência de ações que são devidas numa relação em que haja expectativa de confiança. A maioria dos agressores são da própria família, tornando a denúncia por parte do idoso mais difícil”, enumera o coordenador.

     De acordo com Freytag, são muitos os casos de omissão ou negligência que ocorrem pela exclusiva falta de orientação adequada aos familiares ou dos cuidadores de idosos. “O Estatuto do Idoso tem o intuito de regular os direitos assegurados às pessoas com mais de 60 anos, mas também precisam ser trabalhados. Nós encontramos muitos tipos de violência contra o idoso. A física é a forma mais perceptiva aos olhos. Agressões verbais, tratar com menosprezo, desprezo, ou qualquer ação que traga sofrimento emocional, como humilhação, afastamento do convívio com familiares ou restrição de liberdade de expressão caracteriza a violência é a psicológica. Há ainda o abandono, o abuso financeiro, a violência patrimonial e a sexual”, acrescenta. 

     Sobre este tema, a Pastoral da Pessoa Idosa tem como objetivo assegurar a dignidade e valorização integral das pessoas idosas, através da promoção humana, espiritual, respeitando os seus direitos em um processo educativo de formação continuada destas, de suas famílias e de suas comunidades. “Repudiando qualquer forma de violência contra a pessoa idosa. Se fala muito em relação a violência contra o idoso, mas se faz muito pouco. Se esquece de faze o trabalho de casa ou próximo ao idoso. Essas são as grandes dificuldades que temos em relação a esse assunto”



Diocede Ponta Grossa
A frente da igreja está iluminada de violeta   |   Paróquia São Cristóvão

Diocede Ponta Grossa
A Paróquia Santa Teresinha também colocou faixa da Campanha em frente à igreja   |   Paróquia Santa Teresinha

Diocede Ponta Grossa
Na São José, iluminação violeta em um lado da igreja e faixa   |   Paróquia São José

Diocede Ponta Grossa
Os canteiros da matriz foram decorados na Nossa Senhora de Fátima   |   Comunicação Paróquia Nossa Senhora de Fátima/TB

Diocede Ponta Grossa
A violência é uma realidade vivenciada pela maioria das pessoas idosas, por isso o alerta violeta na Rosário   |   Paróquia Nossa Senhora do Rosário

Diocede Ponta Grossa
Na São Cristóvão, o painel onde estão os horários das missas foi iluminado   |   Paróquia São Cristóvão

Diocede Ponta Grossa
Cartazes no mural da São Cristóvão alertam para a importância da denúncia   |   Paróquia São Cristóvão


Navegue até a sua Paróquia