DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 19/07/2021

Novenas e carreata festejam Sant’Ana

Em Castro, orações pelos profissionais da saúde e curados

 
A devoção a Senhora Sant’Ana nasceu em 1770 A devoção a Senhora Sant’Ana nasceu em 1770 | Crédito: Renato de Oliveira

A festa da padroeira da cidade de Castro e da matriz da paróquia mais antiga da Diocese de Ponta Grossa, Senhora Sant’Ana, acontece desde o último sábado (17). No ano dedicado a São José, a programação foi aberta com a novena em honra a avó de Jesus, sob o tema ‘Sant’Ana e São José, colaboradores de Deus’ e oração pelos membros de pastorais e movimentos. Nesta terça-feira, será rezado na intenção dos profissionais de saúde e lembrado ‘Sant’Ana e São José, espelhos de amor’. A matriz celebra sua 98ª festa em honra a Senhora Sant’Ana este ano.

     Na quarta-feira, ‘Sant’Ana e São José, modelos dos leigos’, a oração será por todos os trabalhadores. As novenas prosseguem até domingo e trarão ainda nas intenções os profissionais de segurança (Sant’Ana e São José, protetores nossos’), os casais em segunda união (Sant’Ana e São José, amparo das famílias’), educadores e funcionários (Sant’Ana e São José, protótipos de educadores’) e em ação de graças pela recuperação da saúde (Sant’Ana e São José, mediadores da graça’). No sábado (24), haverá bênção dos veículos das 9 às 17 horas, venda de pastel e quentão, e, venda do Bolo de Sant’Ana, após a missa das 19 horas e, no domingo, depois das celebrações das 9 e das 19 horas.   

     No domingo, a missa solene está marcada para as 10 horas. Em seguida, acontece carreata. O almoço festivo será servido a partir das 11h30, com churrasco, maionese e farofa, no sistema drive thru. Convites à venda na secretaria paroquial. A programação inclui ainda um show de prêmios eletrônico, dia 27 de agosto, às 15 horas. O primeiro prêmio sorteará R$ 3 mil, o segundo, R$ 2 mil e o primeiro, R$ 1 mil. As cartelas estão sendo vendidas a R$ 10, também na secretaria. Segundo o pároco, padre Martinho Hartmann, apesar de ser a 98ª festa, a devoção a Sant’Ana se iniciou muito antes. “Essa piedade, esse carinho vem de meados de 1770. E de lá para cá o povo tem abraçado Sant’Ana não só como padroeira dessa paróquia, mas da cidade também. Inúmeras graças, inúmeras bênçãos têm acontecido graças a intercessão dessa poderosa senhora”, ressalta padre Martinho.

     O pároco lembra que, devido a pandemia, já no ano passado, não se pode festejar Sant’Ana como costumeiramente o faziam, “porém, não deixamos de celebrar e festejar nossa padroeira pois ela o merece. Estaremos rezando pelas pessoas adoecidas e em ação de graças por aqueles que conseguiram alcançar a recuperação e a saúde. Não temos como fazer a festa tradicional, mas vamos celebrar com muito mais fervor e amor, buscando a Deus com a intercessão de Senhora Sant’Ana. E celebrar Sant’Ana para o povo de Castro sempre é uma data muito esperada. Faz parte da tradição, da história da cidade. Todos, muito devotos, recorrem a ela”, afirma o padre.



  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Doações a seminários já são entregues   |   Bispo celebra os 60 anos do Marista   |   A padroeira que caminha com a Diocese   |   Paróquia celebra centenário da Legião de Maria   |  





Publicado em: 19/07/2021

Novenas e carreata festejam Sant’Ana

Em Castro, orações pelos profissionais da saúde e curados

 

A festa da padroeira da cidade de Castro e da matriz da paróquia mais antiga da Diocese de Ponta Grossa, Senhora Sant’Ana, acontece desde o último sábado (17). No ano dedicado a São José, a programação foi aberta com a novena em honra a avó de Jesus, sob o tema ‘Sant’Ana e São José, colaboradores de Deus’ e oração pelos membros de pastorais e movimentos. Nesta terça-feira, será rezado na intenção dos profissionais de saúde e lembrado ‘Sant’Ana e São José, espelhos de amor’. A matriz celebra sua 98ª festa em honra a Senhora Sant’Ana este ano.

     Na quarta-feira, ‘Sant’Ana e São José, modelos dos leigos’, a oração será por todos os trabalhadores. As novenas prosseguem até domingo e trarão ainda nas intenções os profissionais de segurança (Sant’Ana e São José, protetores nossos’), os casais em segunda união (Sant’Ana e São José, amparo das famílias’), educadores e funcionários (Sant’Ana e São José, protótipos de educadores’) e em ação de graças pela recuperação da saúde (Sant’Ana e São José, mediadores da graça’). No sábado (24), haverá bênção dos veículos das 9 às 17 horas, venda de pastel e quentão, e, venda do Bolo de Sant’Ana, após a missa das 19 horas e, no domingo, depois das celebrações das 9 e das 19 horas.   

     No domingo, a missa solene está marcada para as 10 horas. Em seguida, acontece carreata. O almoço festivo será servido a partir das 11h30, com churrasco, maionese e farofa, no sistema drive thru. Convites à venda na secretaria paroquial. A programação inclui ainda um show de prêmios eletrônico, dia 27 de agosto, às 15 horas. O primeiro prêmio sorteará R$ 3 mil, o segundo, R$ 2 mil e o primeiro, R$ 1 mil. As cartelas estão sendo vendidas a R$ 10, também na secretaria. Segundo o pároco, padre Martinho Hartmann, apesar de ser a 98ª festa, a devoção a Sant’Ana se iniciou muito antes. “Essa piedade, esse carinho vem de meados de 1770. E de lá para cá o povo tem abraçado Sant’Ana não só como padroeira dessa paróquia, mas da cidade também. Inúmeras graças, inúmeras bênçãos têm acontecido graças a intercessão dessa poderosa senhora”, ressalta padre Martinho.

     O pároco lembra que, devido a pandemia, já no ano passado, não se pode festejar Sant’Ana como costumeiramente o faziam, “porém, não deixamos de celebrar e festejar nossa padroeira pois ela o merece. Estaremos rezando pelas pessoas adoecidas e em ação de graças por aqueles que conseguiram alcançar a recuperação e a saúde. Não temos como fazer a festa tradicional, mas vamos celebrar com muito mais fervor e amor, buscando a Deus com a intercessão de Senhora Sant’Ana. E celebrar Sant’Ana para o povo de Castro sempre é uma data muito esperada. Faz parte da tradição, da história da cidade. Todos, muito devotos, recorrem a ela”, afirma o padre.



Diocede Ponta Grossa
A devoção a Senhora Sant’Ana nasceu em 1770   |   Renato de Oliveira

Diocede Ponta Grossa
As novenas em honra a padroeira prosseguem até domingo: fé   |   Renato de Oliveira

Diocede Ponta Grossa
Senhora Sant’Ana é a padroeira de Castro   |   Reanto de Oliveira


Navegue até a sua Paróquia