DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 28/09/2021

Escola de paróquia ensina Latim

Leigos da Nossa Senhora dos Remédios aprendem a ‘língua da Igreja’

 
Os 18 alunos têm buscado conhecer melhor a língua  Os 18 alunos têm buscado conhecer melhor a língua | Crédito: Paróquia Nossa Senhora dos Remédios

Desde julho deste ano, leigos ligados a pastorais, movimentos e associações católicas ou simplesmente participantes da Paróquia Nossa Senhora dos Remédios, de Tibagi, podem frequentar aulas de Latim. Ministrado pelo advogado Walter Eduardo Bielinski de Oliveira, autodidata e poliglota que fala fluentemente Português, Polonês, Francês, Inglês, Italiano, Alemão, Espanhol e Russo, o curso têm aulas quinzenais, às terças-feiras, das 19 às 21 horas, no Centro Pastoral.  


      “A paróquia é a promotora da formação. Ela fornece a sala e a infraestrutura. É incentivado o estudo de Latim pelo padre Luiz (Mirkoski, pároco). A Escola de Latim é um projeto de formação paroquial, como, por exemplo, um curso de Batismo, de ministro, de Liturgia, de coral, servindo à comunidade.  O padre sempre achou importante o aprofundamento do Latim, e, quando comentei que seria interessante, ele foi a primeira pessoa a apoiar. Pelo padre Luiz toda a equipe do coral, do canto e da Liturgia estariam estudando, mas é uma pena que tenha baixa adesão”, detalha Bielinski, que é ministro da Comunhão e da Esperança, membro ativo do Apostolado de Oração, ajuda na Liturgia, Pastoral da Comunicação e é professor voluntário do curso.


     De acordo com o professor, há alunos jovens de 18 anos e pessoas idosas. O grupo leva o nome de Mater Sapientiae, em latim, ‘Mãe da Sabedoria’. ”O objetivo é oferecer um maior conhecimento e um uso da língua latina mais competente, quer no âmbito da vida de fé, quer no mais vasto mundo da cultura, uma vez que, no contexto de um debilitamento generalizado dos estudos humanistas, incorre-se no perigo do perdimento ou desaparecimento desses bens na Igreja moderna”, explica, citando que adolescentes, jovens e adultos, de todas as idades, com alfabetização básica, podem participar e aprender mais sobre o que Bielinski chama de ‘a língua da Igreja’.


     Cristiane Kernicki Oliveira faz parte do Conselho Econômico, da Liturgia e coordena a Pastoral do Dízimo da paróquia é uma das alunas. “Em uma formação de Liturgia, que o nosso pároco iniciou em meados de abril, percebi muitas palavras em Latim. Fiquei curiosa com a língua e também a ligação que ela tem com a Igreja Católica. Isso me fez ter vontade de aprofundar mais os meus conhecimentos, pois, vejo que, quanto mais conhecemos, mais claro e fácil se torna. E ter a possibilidade de estudar uma língua diferente, tão próximo, achei uma oportunidade e tanto!”, avalia Cristiane.


     O integrante do Ministério de Música, Kleiton Alves Bueno, conta estar gostando muito do curso. “O que me levou a entrar foi o desejo de aprender um pouco da história da Igreja Católica e suas orações. É um pouco difícil de assimilar, mas gosto muito da língua italiana e é muito parecido. Isso ajuda um pouco. O professor Walter é muito comunicativo e sábio, então, creio que aprenderemos muito com ele”, afirma.


 


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Exposição mostra peças sacras   |   Padres festejam 60 anos de sacerdócio   |   Grupo fabrica peças de presépio   |   Missa celebra 60 anos de sacerdócio de padres   |  





Publicado em: 28/09/2021

Escola de paróquia ensina Latim

Leigos da Nossa Senhora dos Remédios aprendem a ‘língua da Igreja’

 

Desde julho deste ano, leigos ligados a pastorais, movimentos e associações católicas ou simplesmente participantes da Paróquia Nossa Senhora dos Remédios, de Tibagi, podem frequentar aulas de Latim. Ministrado pelo advogado Walter Eduardo Bielinski de Oliveira, autodidata e poliglota que fala fluentemente Português, Polonês, Francês, Inglês, Italiano, Alemão, Espanhol e Russo, o curso têm aulas quinzenais, às terças-feiras, das 19 às 21 horas, no Centro Pastoral.  


      “A paróquia é a promotora da formação. Ela fornece a sala e a infraestrutura. É incentivado o estudo de Latim pelo padre Luiz (Mirkoski, pároco). A Escola de Latim é um projeto de formação paroquial, como, por exemplo, um curso de Batismo, de ministro, de Liturgia, de coral, servindo à comunidade.  O padre sempre achou importante o aprofundamento do Latim, e, quando comentei que seria interessante, ele foi a primeira pessoa a apoiar. Pelo padre Luiz toda a equipe do coral, do canto e da Liturgia estariam estudando, mas é uma pena que tenha baixa adesão”, detalha Bielinski, que é ministro da Comunhão e da Esperança, membro ativo do Apostolado de Oração, ajuda na Liturgia, Pastoral da Comunicação e é professor voluntário do curso.


     De acordo com o professor, há alunos jovens de 18 anos e pessoas idosas. O grupo leva o nome de Mater Sapientiae, em latim, ‘Mãe da Sabedoria’. ”O objetivo é oferecer um maior conhecimento e um uso da língua latina mais competente, quer no âmbito da vida de fé, quer no mais vasto mundo da cultura, uma vez que, no contexto de um debilitamento generalizado dos estudos humanistas, incorre-se no perigo do perdimento ou desaparecimento desses bens na Igreja moderna”, explica, citando que adolescentes, jovens e adultos, de todas as idades, com alfabetização básica, podem participar e aprender mais sobre o que Bielinski chama de ‘a língua da Igreja’.


     Cristiane Kernicki Oliveira faz parte do Conselho Econômico, da Liturgia e coordena a Pastoral do Dízimo da paróquia é uma das alunas. “Em uma formação de Liturgia, que o nosso pároco iniciou em meados de abril, percebi muitas palavras em Latim. Fiquei curiosa com a língua e também a ligação que ela tem com a Igreja Católica. Isso me fez ter vontade de aprofundar mais os meus conhecimentos, pois, vejo que, quanto mais conhecemos, mais claro e fácil se torna. E ter a possibilidade de estudar uma língua diferente, tão próximo, achei uma oportunidade e tanto!”, avalia Cristiane.


     O integrante do Ministério de Música, Kleiton Alves Bueno, conta estar gostando muito do curso. “O que me levou a entrar foi o desejo de aprender um pouco da história da Igreja Católica e suas orações. É um pouco difícil de assimilar, mas gosto muito da língua italiana e é muito parecido. Isso ajuda um pouco. O professor Walter é muito comunicativo e sábio, então, creio que aprenderemos muito com ele”, afirma.


 


Diocede Ponta Grossa
Os 18 alunos têm buscado conhecer melhor a língua   |   Paróquia Nossa Senhora dos Remédios

Diocede Ponta Grossa
As aulas acontecem às terças-feiras, no Centro Pastoral   |   Paróquia Nossa Senhora dos Remédios

Diocede Ponta Grossa
O professor Walter usa o Latim para rezar, cantar e escrever   |   Paróquia NossaSenhora dos Remédios


Navegue até a sua Paróquia