DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 14/10/2022

Rosário Perpétuo tem encontro diocesano

Depois de quatro anos, integrantes se reúnem para rezar

 
Há três anos, eram mais de 50 grupos rezando os mistérios do terço diariamente Há três anos, eram mais de 50 grupos rezando os mistérios do terço diariamente | Crédito: Divulgação

Em torno de 300 pessoas, devotas de Nossa Senhora e que meditam o Santo Rosário, estão sendo esperadas na quarta edição do encontro diocesano do Movimento do Rosário Perpétuo, no próximo domingo (16). Marcado para acontecer na Associação Recreativa Homens do Trabalho, em Ponta Grossa, o encontro terá em uma das pregações a coordenadora nacional do movimento, Simoni Soares, que vai falar sobre o Rosário Perpétuo, explicando seu funcionamento. A entrada é livre e não é preciso fazer inscrição. 


A programação será aberta às 13 horas, com animação do Ministério de Música da Paróquia Santa Rita de Cássia. Às 13h15, a coordenadora diocesana, Vilma Schila, rezará o Santo Terço, com crianças encenando cada um dos mistérios que está sendo meditado. Simoni Soares, coordenadora nacional do movimento, explica, em seguida, sobre o Rosário Perpétuo. Perto das 15h15, padre Wagner de Oliveira Silva, integrante do movimento e administrador paroquial da Quase-Paróquia São João Paulo II, abordará o tema ‘Sob o olhar de Nossa Senhora’. Haverá intervalo para o lanche, e, na sequência, Santa Missa.


“Vamos rezar o terço, ouvir sobre o Rosário Perpétuo e sobre o tema do encontro com o padre Wagner e participarmos juntos de uma celebração, com a intenção também de divulgar mais o Rosário Perpétuo, formar mais grupos e assim atender o pedido de Nossa Senhora: ‘Rezai o Rosário para alcançar a paz no mundo’”, adianta a vice- coordenadora diocesana, Silmara Aparecida Santos. Segundo ela, ano que vem deve ocorrer uma reunião para definir a ida nas paróquias e a obtenção de dados sobre a quantidade de participantes e de filhos espirituais entregues. “Não temos esses números atualizados. A Vilma, a coordenadora, é que vai decidir como nós vamos fazer, ela é quem vai coordenar”, acrescenta.


O último encontro diocesano aconteceu em 2017, no Espaço Cultural Sant’Ana, e contou com quase 250 pessoas. O Movimento do Rosário Perpétuo nasceu na Diocese de Ponta Grossa em 1998 e viveu seu auge nos dez anos seguintes. São 24 anos de existência e, pelos dados de 2019, mais de 50 grupos formados. De acordo com Silmara, durante a pandemia os participantes se uniram mais através das redes sociais e foram montados mais alguns grupos. “Sei que aumentou, mas não tenho os dados de quantos foram criados”, garante.


O Movimento do Rosário Perpétuo tem a característica de uma mística, de formar um grupo de pessoas que, conjuntamente, cada uma rezando o seu mistério, forma um rosário. O mistério de quem reza é sempre o mesmo. Não muda. Outra importante característica é por quem se reza: os nascituros, para que venham a nascer e que tenham saúde. Com isso, se forma um pequeno exército de ‘filhos espirituais’, ou seja, todas aquelas crianças que vierem a nascer graças a oração são filhos e filhas espirituais de quem reza, que as continuam acompanhando pela vida.


 


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Presépio dos Arautos abre neste sábado   |   aa   |   Núncios apostólicos na Diocese   |   Encaminhadas principais ações para 2023   |  





Publicado em: 14/10/2022

Rosário Perpétuo tem encontro diocesano

Depois de quatro anos, integrantes se reúnem para rezar

 

Em torno de 300 pessoas, devotas de Nossa Senhora e que meditam o Santo Rosário, estão sendo esperadas na quarta edição do encontro diocesano do Movimento do Rosário Perpétuo, no próximo domingo (16). Marcado para acontecer na Associação Recreativa Homens do Trabalho, em Ponta Grossa, o encontro terá em uma das pregações a coordenadora nacional do movimento, Simoni Soares, que vai falar sobre o Rosário Perpétuo, explicando seu funcionamento. A entrada é livre e não é preciso fazer inscrição. 


A programação será aberta às 13 horas, com animação do Ministério de Música da Paróquia Santa Rita de Cássia. Às 13h15, a coordenadora diocesana, Vilma Schila, rezará o Santo Terço, com crianças encenando cada um dos mistérios que está sendo meditado. Simoni Soares, coordenadora nacional do movimento, explica, em seguida, sobre o Rosário Perpétuo. Perto das 15h15, padre Wagner de Oliveira Silva, integrante do movimento e administrador paroquial da Quase-Paróquia São João Paulo II, abordará o tema ‘Sob o olhar de Nossa Senhora’. Haverá intervalo para o lanche, e, na sequência, Santa Missa.


“Vamos rezar o terço, ouvir sobre o Rosário Perpétuo e sobre o tema do encontro com o padre Wagner e participarmos juntos de uma celebração, com a intenção também de divulgar mais o Rosário Perpétuo, formar mais grupos e assim atender o pedido de Nossa Senhora: ‘Rezai o Rosário para alcançar a paz no mundo’”, adianta a vice- coordenadora diocesana, Silmara Aparecida Santos. Segundo ela, ano que vem deve ocorrer uma reunião para definir a ida nas paróquias e a obtenção de dados sobre a quantidade de participantes e de filhos espirituais entregues. “Não temos esses números atualizados. A Vilma, a coordenadora, é que vai decidir como nós vamos fazer, ela é quem vai coordenar”, acrescenta.


O último encontro diocesano aconteceu em 2017, no Espaço Cultural Sant’Ana, e contou com quase 250 pessoas. O Movimento do Rosário Perpétuo nasceu na Diocese de Ponta Grossa em 1998 e viveu seu auge nos dez anos seguintes. São 24 anos de existência e, pelos dados de 2019, mais de 50 grupos formados. De acordo com Silmara, durante a pandemia os participantes se uniram mais através das redes sociais e foram montados mais alguns grupos. “Sei que aumentou, mas não tenho os dados de quantos foram criados”, garante.


O Movimento do Rosário Perpétuo tem a característica de uma mística, de formar um grupo de pessoas que, conjuntamente, cada uma rezando o seu mistério, forma um rosário. O mistério de quem reza é sempre o mesmo. Não muda. Outra importante característica é por quem se reza: os nascituros, para que venham a nascer e que tenham saúde. Com isso, se forma um pequeno exército de ‘filhos espirituais’, ou seja, todas aquelas crianças que vierem a nascer graças a oração são filhos e filhas espirituais de quem reza, que as continuam acompanhando pela vida.


 


Diocede Ponta Grossa
Há três anos, eram mais de 50 grupos rezando os mistérios do terço diariamente   |   Divulgação

Diocede Ponta Grossa
Dom Sergio, em 2019, com uma cópia da carta apostólica do Papa: bênção ao movimento   |   Arquivo AssCom Diocese de Ponta Grossa


Navegue até a sua Paróquia