DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 25/10/2022

Visita leva relíquia de Carlo Acutis a capelas

Relicário peregrina pela Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em PG

 
O relicário tem ficado sempre exposto ao lado do sacrário O relicário tem ficado sempre exposto ao lado do sacrário | Crédito: Edson de Paula

     Uma relíquia de terceira ordem do beato Carlo Acutis está em peregrinação pela Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Ponta Grossa, desde o dia 9, às 10h30, quando foi acolhida na Capela São Francisco de Assis, no Jardim Europa. O relicário está no Santuário de Nossa Senhora do Carmo, no Parque dos Pinheiros, onde permanece até esta quarta-feira (26). A passagem pelas comunidades comemora o segundo ano de beatificação, em Assis, Itália; o 16º de falecimento, em Monza, Itália, e o 31º ano de seu nascimento, em Londres, no Reino Unido. 


     Os integrantes da comunidade que recebe o relicário ficam responsáveis por levá-lo para a próxima comunidade, conforme um roteiro pré-estabelecido. A peregrinação foi pensada devido ao Mês Missionário e já ocorreu nas capelas Nossa Senhora Aparecida (Jardim Vila Velha), São Vicente de Paulo (Recanto Verde), Nossa Senhora da Luz (Vila Castanheira/Nery), Nossa Senhora de La Salette (Vila Santana), igreja matriz Nossa Senhora de Fátima e Capela/Santuário Nossa Senhora do Carmo. Nas comunidades São João Batista, Santa Bárbara, Nossa Senhora das Graças, Santa Terezinha e Nossa Senhora de Nazaré a visita será agendada para novembro e dezembro. Só depois, a relíquia deve seguir para outras paróquias. “Se as paróquias ou grupos de jovens desejarem, podem ligar na secretaria e agendar a visita”, informa o vigário, padre José Amilton Gomes dos Santos.


      No Santuário de Nossa Senhora do Carmo o relicário chegou dia 23. Padre Amilton explicou, no final da missa de domingo, a história de vida do jovem, que foi beatificado em 2020 e está em processo para virar santo da Igreja. “Com imensa alegria recebemos o relicário do beato Carlo Acutis. Tivemos às nove e meia da manhã a missa presidida pelo vigário, padre José Amilton, um momento marcante em nossa comunidade, de muitas bênçãos e graças. Ao final, todos tiveram a oportunidade de tocar no relicário”, comenta Edson de Paula, coordenador do Conselho Pastoral da Comunidade. 


     No Santuário, o relicário pode ser visitado das 13 às 17 horas. Às 20 horas, desta quarta-feira, dia 26, a relíquia segue para a Capela Nossa Senhora Rainha da Paz, no Jardim Barreto. No dia 29, às 18 horas, chega à Capela Santa Izabel de Portugal, na Vila Odete, e, no dia 30, retorna à matriz Nossa Senhora de Fátima, às 19 horas.


Presente


     Padre José Amilton é devoto do beato. “Já pedi graça a ele e fui atendido. Eu estava com a diabetes desestabilizada, acima de 500 (miligramas de glicose por decilitro de sangue). Hoje, está bem abaixo desse nível, 110, 105 (miligramas de glicose por decilitro de sangue). Esses dias, não tenho sentido mais alta do nível de glicemia. Acredito que a minha voz ele também vai devolver. É preciso ter paciência para esperar”, assegura o vigário, que está com um problema na garganta.  O padre que tem estudado a história do beato e de sua família, recebeu a relíquia de um amigo. É um pedaço da roupa usada por Carlo Acutis. O fragmento foi colocado no relicário, ao lado da imagem do jovem beato. “É muito interessante a história dele, a vida, como não se entregou mesmo doente, como foi corajoso. Estou tentando obter uma relíquia de primeira ordem. No caso de Carlo, fios de cabelo. É a relíquia mais buscada dos santos”, explica, confidenciando que sua intenção é ir até Campo Grande (MS) local onde aconteceu o milagre que levou Carlo à beatificação.


     De acordo com padre Amilton, o relicário está sendo exposto ao lado dos sacrários, nas capelas, porque o beato era muito apaixonado pelo Santíssimo Sacramento da Eucaristia. “Ele ia à missa todos os dias, comungava, e, antes e depois de iniciar a celebração, fazia visita ao sacrário. Quando terminava, ia se despedir e agradecer a missa e o sacramento que recebeu”, justifica o padre. Carlo o fez após a sua Primeira Comunhão, aos sete anos. A partir daí tomou a decisão de participar diariamente da Santa Missa. Aos 11 anos, tornou-se catequista e aprendeu a conhecer os lugares conhecidos mundialmente pelos milagres eucarísticos.


     Criou um site no qual catalogava milagres ao redor do mundo. Infelizmente, porém, o garoto faleceu por conta de uma leucemia meses após dar início a este trabalho. Carlo morreu em 2006, aos 15 anos, e foi beatificado em 10 de outubro de 2020 na Basílica de Assis, pelo Papa Francisco. O milagre que levou a sua beatificação se deu por meio de um menino conhecido como Matheus, em Campo Grande, em 2013. Ele sofria com uma bifurcação no pâncreas, uma doença congênita que o impedia de fazer a digestão e absorver os alimentos que ingeria. Em uma missa no dia 12 de outubro, o padre o abençoou com uma relíquia de Carlo. Semanas depois ele não tinha mais nada. A bifurcação desapareceu.


 


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Presépio dos Arautos abre neste sábado   |   aa   |   Núncios apostólicos na Diocese   |   Encaminhadas principais ações para 2023   |  





Publicado em: 25/10/2022

Visita leva relíquia de Carlo Acutis a capelas

Relicário peregrina pela Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em PG

 

     Uma relíquia de terceira ordem do beato Carlo Acutis está em peregrinação pela Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Ponta Grossa, desde o dia 9, às 10h30, quando foi acolhida na Capela São Francisco de Assis, no Jardim Europa. O relicário está no Santuário de Nossa Senhora do Carmo, no Parque dos Pinheiros, onde permanece até esta quarta-feira (26). A passagem pelas comunidades comemora o segundo ano de beatificação, em Assis, Itália; o 16º de falecimento, em Monza, Itália, e o 31º ano de seu nascimento, em Londres, no Reino Unido. 


     Os integrantes da comunidade que recebe o relicário ficam responsáveis por levá-lo para a próxima comunidade, conforme um roteiro pré-estabelecido. A peregrinação foi pensada devido ao Mês Missionário e já ocorreu nas capelas Nossa Senhora Aparecida (Jardim Vila Velha), São Vicente de Paulo (Recanto Verde), Nossa Senhora da Luz (Vila Castanheira/Nery), Nossa Senhora de La Salette (Vila Santana), igreja matriz Nossa Senhora de Fátima e Capela/Santuário Nossa Senhora do Carmo. Nas comunidades São João Batista, Santa Bárbara, Nossa Senhora das Graças, Santa Terezinha e Nossa Senhora de Nazaré a visita será agendada para novembro e dezembro. Só depois, a relíquia deve seguir para outras paróquias. “Se as paróquias ou grupos de jovens desejarem, podem ligar na secretaria e agendar a visita”, informa o vigário, padre José Amilton Gomes dos Santos.


      No Santuário de Nossa Senhora do Carmo o relicário chegou dia 23. Padre Amilton explicou, no final da missa de domingo, a história de vida do jovem, que foi beatificado em 2020 e está em processo para virar santo da Igreja. “Com imensa alegria recebemos o relicário do beato Carlo Acutis. Tivemos às nove e meia da manhã a missa presidida pelo vigário, padre José Amilton, um momento marcante em nossa comunidade, de muitas bênçãos e graças. Ao final, todos tiveram a oportunidade de tocar no relicário”, comenta Edson de Paula, coordenador do Conselho Pastoral da Comunidade. 


     No Santuário, o relicário pode ser visitado das 13 às 17 horas. Às 20 horas, desta quarta-feira, dia 26, a relíquia segue para a Capela Nossa Senhora Rainha da Paz, no Jardim Barreto. No dia 29, às 18 horas, chega à Capela Santa Izabel de Portugal, na Vila Odete, e, no dia 30, retorna à matriz Nossa Senhora de Fátima, às 19 horas.


Presente


     Padre José Amilton é devoto do beato. “Já pedi graça a ele e fui atendido. Eu estava com a diabetes desestabilizada, acima de 500 (miligramas de glicose por decilitro de sangue). Hoje, está bem abaixo desse nível, 110, 105 (miligramas de glicose por decilitro de sangue). Esses dias, não tenho sentido mais alta do nível de glicemia. Acredito que a minha voz ele também vai devolver. É preciso ter paciência para esperar”, assegura o vigário, que está com um problema na garganta.  O padre que tem estudado a história do beato e de sua família, recebeu a relíquia de um amigo. É um pedaço da roupa usada por Carlo Acutis. O fragmento foi colocado no relicário, ao lado da imagem do jovem beato. “É muito interessante a história dele, a vida, como não se entregou mesmo doente, como foi corajoso. Estou tentando obter uma relíquia de primeira ordem. No caso de Carlo, fios de cabelo. É a relíquia mais buscada dos santos”, explica, confidenciando que sua intenção é ir até Campo Grande (MS) local onde aconteceu o milagre que levou Carlo à beatificação.


     De acordo com padre Amilton, o relicário está sendo exposto ao lado dos sacrários, nas capelas, porque o beato era muito apaixonado pelo Santíssimo Sacramento da Eucaristia. “Ele ia à missa todos os dias, comungava, e, antes e depois de iniciar a celebração, fazia visita ao sacrário. Quando terminava, ia se despedir e agradecer a missa e o sacramento que recebeu”, justifica o padre. Carlo o fez após a sua Primeira Comunhão, aos sete anos. A partir daí tomou a decisão de participar diariamente da Santa Missa. Aos 11 anos, tornou-se catequista e aprendeu a conhecer os lugares conhecidos mundialmente pelos milagres eucarísticos.


     Criou um site no qual catalogava milagres ao redor do mundo. Infelizmente, porém, o garoto faleceu por conta de uma leucemia meses após dar início a este trabalho. Carlo morreu em 2006, aos 15 anos, e foi beatificado em 10 de outubro de 2020 na Basílica de Assis, pelo Papa Francisco. O milagre que levou a sua beatificação se deu por meio de um menino conhecido como Matheus, em Campo Grande, em 2013. Ele sofria com uma bifurcação no pâncreas, uma doença congênita que o impedia de fazer a digestão e absorver os alimentos que ingeria. Em uma missa no dia 12 de outubro, o padre o abençoou com uma relíquia de Carlo. Semanas depois ele não tinha mais nada. A bifurcação desapareceu.


 


Diocede Ponta Grossa
O relicário tem ficado sempre exposto ao lado do sacrário   |   Edson de Paula

Diocede Ponta Grossa
No detalhe, em preto, o pedaço da roupa do beato   |   Edson de Paula

Diocede Ponta Grossa
O jovem beato é considerado o patrono da internet   |   Edson de Paula

Diocede Ponta Grossa
Ao final da missa no Santuário, os fiéis puderam tocar no relicário   |   Edson de Paula


Navegue até a sua Paróquia