DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 01/11/2022

Adoção à distância comemora dez anos

Projeto Cavanis atende mais de 100 crianças na África

 
Jerri e Letícia, padre Braz Elias e Clayton e Débora, precursores do projeto Jerri e Letícia, padre Braz Elias e Clayton e Débora, precursores do projeto | Crédito: Congregação Cavanis

Um projeto onde padrinhos e madrinhas ajudam financeiramente crianças e jovens do outro lado do mundo, na República Democrática do Congo, na África.  A ação desenvolvida pela Congregação das Escolas de Caridade Cavanis no Brasil comemorou dez anos no último dia 9. A adoção à distância envolve, em Castro, desde 2016, 93 padrinhos e madrinhas que beneficiam 123 ‘afilhados’ da região de Kinhasa, no Congo. Em Ponta Grossa, são 11 padrinhos e 11 beneficiados. Crianças e jovens que vivem em condições de precariedade social e são atendidas pela congregação há 17 anos. 


     O Projeto Entra na Alegria da Missão Cavanis / Adoção à Distância teve como idealizador padre Edmilson Mendes, na época, animador missionário da Congregação Cavanis. Hoje, o animador é padre Piero Fietta. Desde 2005, o Instituto Cavanis mantém uma obra educativa em Kinhasa, que começou timidamente com algumas crianças para o reforço escolar e cresceu. Em 2008, já abrigava turmas da escola primária. Atualmente, a Escola Cavanis atende, em média, 400 crianças da primeira a oitava série, e, além do estudo, fornece material escolar, uniforme e ainda assistência médica. No Brasil, o projeto começou em 2012 com o casal ClaytonTaffarello Umbelino e Débora Silveira Umbelino, de Curitiba, amigos do padre Edmilson e que estiveram com ele em Roma, onde reside. Neste mesmo ano, o casal convidou outros dois casais, de Ponta Grossa, entre eles Jerri e Letícia Tavanani, que iniciaram a ação na cidade e estão até hoje à frente do projeto.


     A ‘adoção’ pode ser feita individualmente, por uma família, grupo de amigos, empresa. A princípio, é necessário o depósito anual ou mensal na conta do projeto. A contribuição pode ser de R$ 35 mensais ou R$ 420 por ano. Os depósitos são destinados à conta da Província Cavanis no Banco do Brasil (001), agência 0485-5/Castro, conta corrente 38285-x. Ou, através de PIX, com a chave CavanisBrasil@gmail.com. “O interessante do projeto é que o depósito vai direto na conta da Província Cavanis. Não passa pela mão de leigo algum. A Província encaminha direto para o Congo\", destaca Liliane Schulz Valenga, uma das coordenadoras do projeto em Castro, ao lado de Dirce Biassio e Noemi Aparecida Carneiro Weinert. Elas trabalham voluntariamente na busca de pessoas que possam se engajar como padrinho ou madrinha à distância. \"Fazemos um trabalho corpo a corpo, contatando com pessoas da comunidade, independente, inclusive, de religião, que estejam dispostas a abraçar esta causa”, acrescenta Liliane.


Ação de graças


     Para marcar o aniversário de dez anos do projeto todas as paróquias administradas por religiosos Cavanis celebraram missa em ação de graças, no último dia 9. Na Paróquia de São Judas Tadeu, em Castro, a celebração foi presidida pelo coordenador do projeto no Brasil, padre Braz Elias Pereira, e concelebrada pelo pároco, padre Franco Allen Somensi, e diácono Hervê Koto. \"Queremos lembrar dos padrinhos e madrinhas que foram arrancados do meio de nós pela pandemia da Covid-19 e que hoje se encontram no céu, intercedendo com suas orações\", enfatizou o sacerdote, que é pároco e reitor do Santuário Santa Rita de Cássia, em Maringá. 


     Padre Franco Allen lembrou que no dia anterior, 8 de outubro, a paróquia recebeu a visita do bispo Dom Sergio Arthur Braschi, que veio conferir o sacramento da Crisma para mais de 60 adolescentes. Na ocasião, o bispo destacou a importância do ’ser missionário’, contando que a Diocese de Ponta Grossa mantém uma paróquia – São João Batista - na Prelazia de Lábrea, no Amazonas. “Uma missão, atendendo os ribeirinhos\", disse. Padre Franco também fez questão de ressaltar a Semana da Missão Cavanis e a ajuda à região de Moçambique, assolada por tempestades, assaltos em igrejas locais por guerrilheiros e onde, inclusive, houve o assassinato de uma religiosa. 


     Foi apresentado um vídeo de nove minutos com depoimentos de pessoas que já participam do Projeto Entra na Alegria da Missão Cavanis e os resultados práticos da iniciativa. 


∗Com informações de Renato de Oliveira


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| aa   |   Núncios apostólicos na Diocese   |   Encaminhadas principais ações para 2023   |   Abade completa 25 anos à frente de mosteiro   |  





Publicado em: 01/11/2022

Adoção à distância comemora dez anos

Projeto Cavanis atende mais de 100 crianças na África

 

Um projeto onde padrinhos e madrinhas ajudam financeiramente crianças e jovens do outro lado do mundo, na República Democrática do Congo, na África.  A ação desenvolvida pela Congregação das Escolas de Caridade Cavanis no Brasil comemorou dez anos no último dia 9. A adoção à distância envolve, em Castro, desde 2016, 93 padrinhos e madrinhas que beneficiam 123 ‘afilhados’ da região de Kinhasa, no Congo. Em Ponta Grossa, são 11 padrinhos e 11 beneficiados. Crianças e jovens que vivem em condições de precariedade social e são atendidas pela congregação há 17 anos. 


     O Projeto Entra na Alegria da Missão Cavanis / Adoção à Distância teve como idealizador padre Edmilson Mendes, na época, animador missionário da Congregação Cavanis. Hoje, o animador é padre Piero Fietta. Desde 2005, o Instituto Cavanis mantém uma obra educativa em Kinhasa, que começou timidamente com algumas crianças para o reforço escolar e cresceu. Em 2008, já abrigava turmas da escola primária. Atualmente, a Escola Cavanis atende, em média, 400 crianças da primeira a oitava série, e, além do estudo, fornece material escolar, uniforme e ainda assistência médica. No Brasil, o projeto começou em 2012 com o casal ClaytonTaffarello Umbelino e Débora Silveira Umbelino, de Curitiba, amigos do padre Edmilson e que estiveram com ele em Roma, onde reside. Neste mesmo ano, o casal convidou outros dois casais, de Ponta Grossa, entre eles Jerri e Letícia Tavanani, que iniciaram a ação na cidade e estão até hoje à frente do projeto.


     A ‘adoção’ pode ser feita individualmente, por uma família, grupo de amigos, empresa. A princípio, é necessário o depósito anual ou mensal na conta do projeto. A contribuição pode ser de R$ 35 mensais ou R$ 420 por ano. Os depósitos são destinados à conta da Província Cavanis no Banco do Brasil (001), agência 0485-5/Castro, conta corrente 38285-x. Ou, através de PIX, com a chave CavanisBrasil@gmail.com. “O interessante do projeto é que o depósito vai direto na conta da Província Cavanis. Não passa pela mão de leigo algum. A Província encaminha direto para o Congo\", destaca Liliane Schulz Valenga, uma das coordenadoras do projeto em Castro, ao lado de Dirce Biassio e Noemi Aparecida Carneiro Weinert. Elas trabalham voluntariamente na busca de pessoas que possam se engajar como padrinho ou madrinha à distância. \"Fazemos um trabalho corpo a corpo, contatando com pessoas da comunidade, independente, inclusive, de religião, que estejam dispostas a abraçar esta causa”, acrescenta Liliane.


Ação de graças


     Para marcar o aniversário de dez anos do projeto todas as paróquias administradas por religiosos Cavanis celebraram missa em ação de graças, no último dia 9. Na Paróquia de São Judas Tadeu, em Castro, a celebração foi presidida pelo coordenador do projeto no Brasil, padre Braz Elias Pereira, e concelebrada pelo pároco, padre Franco Allen Somensi, e diácono Hervê Koto. \"Queremos lembrar dos padrinhos e madrinhas que foram arrancados do meio de nós pela pandemia da Covid-19 e que hoje se encontram no céu, intercedendo com suas orações\", enfatizou o sacerdote, que é pároco e reitor do Santuário Santa Rita de Cássia, em Maringá. 


     Padre Franco Allen lembrou que no dia anterior, 8 de outubro, a paróquia recebeu a visita do bispo Dom Sergio Arthur Braschi, que veio conferir o sacramento da Crisma para mais de 60 adolescentes. Na ocasião, o bispo destacou a importância do ’ser missionário’, contando que a Diocese de Ponta Grossa mantém uma paróquia – São João Batista - na Prelazia de Lábrea, no Amazonas. “Uma missão, atendendo os ribeirinhos\", disse. Padre Franco também fez questão de ressaltar a Semana da Missão Cavanis e a ajuda à região de Moçambique, assolada por tempestades, assaltos em igrejas locais por guerrilheiros e onde, inclusive, houve o assassinato de uma religiosa. 


     Foi apresentado um vídeo de nove minutos com depoimentos de pessoas que já participam do Projeto Entra na Alegria da Missão Cavanis e os resultados práticos da iniciativa. 


∗Com informações de Renato de Oliveira


Diocede Ponta Grossa
Jerri e Letícia, padre Braz Elias e Clayton e Débora, precursores do projeto   |   Congregação Cavanis

Diocede Ponta Grossa
Os padrinhos de Castro, com padre Franco, padrinho também   |   Renato de Oliveira

Diocede Ponta Grossa
O padre Braz Elias e diácono Hervê Koto, que será ordenado em Kinshasa dia 19   |   Renato de Oliveira

Diocede Ponta Grossa
Missa celebrada pelos padres Edemar de Souza e José Amilton Gomes dos Santos, da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, de PG   |   Paróquia Nossa Senhora de Fátima/PG


Navegue até a sua Paróquia