DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 24/03/2021

Definidas orientações para Semana Santa

Procissões e Lava-Pés seguem suspensos

 
A celebração da Missa do Crisma abençoa e consagra os três santos óleos   A celebração da Missa do Crisma abençoa e consagra os três santos óleos | Crédito: Arquivo AssCom Diocese de Ponta Grossa

     Enviadas já para todas as paróquias da Diocese de Ponta Grossa algumas orientações e sugestões quanto às celebrações da Semana Santa. Pelo segundo ano e, neste 2021, no pior momento da pandemia provocada pelo Coronoavírus, o bispo dom Sergio Arthur Braschi, balizado pela Comissão Diocesana de Liturgia e Canto Pastoral, determina que, onde for possível, as celebrações sejam presenciais, mas com número reduzido de fiéis e também tenham transmissão via internet. A procissão do Domingo de Ramos e o Rito do Lava-Pés, na Missa da Ceia do Senhor, a exemplo do ano passado, seguem suspensos.

     As procissões sempre presentes na programação da Semana Santa seguem canceladas. A celebração do Domingo de Ramos deve acontecer dentro da igreja e os fiéis devem trazer seus próprios ramos de casa, já que não serão distribuídos nas comunidades. A leitura da Paixão do Senhor é prevista em todas as celebrações paroquiais deste dia. Mesmo se não houver celebração presencial, deve ser lembrada a importância de se fazer oportunamente a doação para a Coleta da Solidariedade, prevista na Campanha da Fraternidade.

     Na Quinta-Feira Santa, a princípio, a Missa do Crisma acontecerá a portas fechadas, apenas com o clero, dia 1º, às 9 horas, sendo transmitida pela Rádio Sant’Ana e via internet. Na Missa da Ceia do Senhor, deve ser omitido o rito do Lava-Pés, o qual não deve ser substituído por qualquer iniciativa, ideia ou representação que possa ferir o valor simbólico-sacramental deste gesto ritual. Ao final, deve-se igualmente ser omitida a Transladação do Santíssimo Sacramento. “Jugando-se oportuno pode-se seguir um breve momento de oração em Vigília Eucarística individual, sem solenidades. Não se pode fazer a exposição com o ostensório. O momento de adoração deve ser breve para se evitar a permanência dos fiéis dentro da igreja”, orienta padre Alvaro Luiz Martins Nortok, assessor diocesano de Liturgia e Canto Pastoral.

  Na Sexta-Feira Santa, dia em que recordamos a entrega total de Jesus Cristo, mantenha-se o silêncio, em especial, o recolhimento, jejum e abstinência e a oração pessoal, aconselha o padre, lembrando que foi modificado também o ato de adoração à Cruz. O beijo é limitado apenas ao celebrante principal, conforme consta no decreto de 25 de março de 2020. A adoração pode ser feita de longe, com o presidente da celebração erguendo a Cruz e mostrando aos presentes para que realizem seu momento de oração e adoração.

     A Solene Vigília Pascal será celebrada conforme sua estrutura própria, recordando o Cristo Ressuscitado que brilha nas trevas da morte. No Domingo de Páscoa, orienta-se que a celebração eucarística seja acompanhada ao vivo. “Seja um sinal da Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo, realizando-a, rezando, agradecendo pela vitória de Cristo sobre o pecado e a morte, mas também, como gesto concreto, doe alimentos para ajudar os mais necessitados de sua paróquia”, pede padre Alvaro.

     As determinações levam em consideração o apresentado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, em 16 de março deste ano, e pela Congregação pelo Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos. Ressalte-se ainda a necessidade da observância dos decretos e normas sanitárias de cada município da Diocese, atentando sempre – onde for permitida a celebração presencial - para a importância do uso de máscara, do distanciamento social, da oferta de álcool em gel nas entradas e dentro dos templos e, como já vem acontecendo, da supressão da coleta de ofertas entre os fiéis, do ‘abraço da Paz’, oração do Pai Nosso de mãos dadas e da entrega da comunhão na boca.    


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Diocese adere à ação contra a violência a idosos   |   Monumento à Bíblia: marco de fé   |   ‘Mega Cartelão’ sorteará prêmios em dinheiro   |   Curso de líderes forma primeira turma   |  





Publicado em: 24/03/2021

Definidas orientações para Semana Santa

Procissões e Lava-Pés seguem suspensos

 

     Enviadas já para todas as paróquias da Diocese de Ponta Grossa algumas orientações e sugestões quanto às celebrações da Semana Santa. Pelo segundo ano e, neste 2021, no pior momento da pandemia provocada pelo Coronoavírus, o bispo dom Sergio Arthur Braschi, balizado pela Comissão Diocesana de Liturgia e Canto Pastoral, determina que, onde for possível, as celebrações sejam presenciais, mas com número reduzido de fiéis e também tenham transmissão via internet. A procissão do Domingo de Ramos e o Rito do Lava-Pés, na Missa da Ceia do Senhor, a exemplo do ano passado, seguem suspensos.

     As procissões sempre presentes na programação da Semana Santa seguem canceladas. A celebração do Domingo de Ramos deve acontecer dentro da igreja e os fiéis devem trazer seus próprios ramos de casa, já que não serão distribuídos nas comunidades. A leitura da Paixão do Senhor é prevista em todas as celebrações paroquiais deste dia. Mesmo se não houver celebração presencial, deve ser lembrada a importância de se fazer oportunamente a doação para a Coleta da Solidariedade, prevista na Campanha da Fraternidade.

     Na Quinta-Feira Santa, a princípio, a Missa do Crisma acontecerá a portas fechadas, apenas com o clero, dia 1º, às 9 horas, sendo transmitida pela Rádio Sant’Ana e via internet. Na Missa da Ceia do Senhor, deve ser omitido o rito do Lava-Pés, o qual não deve ser substituído por qualquer iniciativa, ideia ou representação que possa ferir o valor simbólico-sacramental deste gesto ritual. Ao final, deve-se igualmente ser omitida a Transladação do Santíssimo Sacramento. “Jugando-se oportuno pode-se seguir um breve momento de oração em Vigília Eucarística individual, sem solenidades. Não se pode fazer a exposição com o ostensório. O momento de adoração deve ser breve para se evitar a permanência dos fiéis dentro da igreja”, orienta padre Alvaro Luiz Martins Nortok, assessor diocesano de Liturgia e Canto Pastoral.

  Na Sexta-Feira Santa, dia em que recordamos a entrega total de Jesus Cristo, mantenha-se o silêncio, em especial, o recolhimento, jejum e abstinência e a oração pessoal, aconselha o padre, lembrando que foi modificado também o ato de adoração à Cruz. O beijo é limitado apenas ao celebrante principal, conforme consta no decreto de 25 de março de 2020. A adoração pode ser feita de longe, com o presidente da celebração erguendo a Cruz e mostrando aos presentes para que realizem seu momento de oração e adoração.

     A Solene Vigília Pascal será celebrada conforme sua estrutura própria, recordando o Cristo Ressuscitado que brilha nas trevas da morte. No Domingo de Páscoa, orienta-se que a celebração eucarística seja acompanhada ao vivo. “Seja um sinal da Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo, realizando-a, rezando, agradecendo pela vitória de Cristo sobre o pecado e a morte, mas também, como gesto concreto, doe alimentos para ajudar os mais necessitados de sua paróquia”, pede padre Alvaro.

     As determinações levam em consideração o apresentado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, em 16 de março deste ano, e pela Congregação pelo Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos. Ressalte-se ainda a necessidade da observância dos decretos e normas sanitárias de cada município da Diocese, atentando sempre – onde for permitida a celebração presencial - para a importância do uso de máscara, do distanciamento social, da oferta de álcool em gel nas entradas e dentro dos templos e, como já vem acontecendo, da supressão da coleta de ofertas entre os fiéis, do ‘abraço da Paz’, oração do Pai Nosso de mãos dadas e da entrega da comunhão na boca.    


Diocede Ponta Grossa
A celebração da Missa do Crisma abençoa e consagra os três santos óleos   |   Arquivo AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
Ano passado, a Missa do Crisma foi adiada para setembro   |   Arquivo AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
Ano passado, a Missa do Crisma foi adiada para setembro   |   Arquivo AssCom Diocese de Ponta Grossa


Navegue até a sua Paróquia