DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 28/09/2021

Sacerdote da Diocese vai cursar Psicologia em Roma

Na turma do primeiro ano, padre é o único brasileiro

 
 O padre na despedida neste domingo, na Paróquia Santa Rita, com o casal Willian e Juliana Serafim e os filhos Cecília, Gustavo, Helena e Pedro O padre na despedida neste domingo, na Paróquia Santa Rita, com o casal Willian e Juliana Serafim e os filhos Cecília, Gustavo, Helena e Pedro | Crédito: Acervo Pessoal

     Padre Wilson Santos Morais, de 35 anos, vigário da Paróquia Santa Rita de Cássia embarca nessa segunda-feira (27) para Roma, onde ficará por cerca de cinco anos, cursando Psicologia com enfoque no acompanhamento psicoespiritual de pessoas, no Instituto de Psicologia da Pontifícia Universidade Gregoriana. A viagem de estudos já era para ter acontecido, mas acabou adiada em função do agravamento da pandemia. Padre Wilson viajou pela manhã para São Paulo, de onde sairia, às 15 horas, para a Itália. A chegada está prevista para às 11h30 desta terça-feira.


     Em solo italiano, o sacerdote permanece dez dias em isolamento.  As aulas iniciam dia 3 de outubro, com sua participação, possivelmente, de modo remoto. “Eu nunca sonhei ir para a Itália. Não é sonho meu. É uma resposta ao chamado de Deus. Um chamado muito concreto porque é no serviço à Igreja. Não vou para ter um diploma, vou para me capacitar para poder servir a Igreja naquilo que hoje ela enxerga como necessário e pediu para mim”, resume padre Wilson, lembrando que a disponibilidade para os estudos foi colocada ao bispo Dom Sergio Arthur Braschi, em 2015, quando de sua ordenação. “De lá para cá, sempre que me encontrava, Dom Sergio perguntava se estava pensando que área iria me ater. Um dia lhe disse que poderia ser na área da formação de novos padres, já que estava servindo no seminário”, detalha. Enquanto seminarista, o padre havia feito curso de extensão, juntamente com Teologia, na Escola de Formadores, em São Paulo, de 2012 a 2015.


     Definido o objeto do estudo, padre Wilson pesquisou e descobriu que há idade limite para entrar na Universidade de Roma, onde é ofertado um curso diferenciado, com visão multidisciplinar. Dom Sergio concordou. Para ingressar na Universidade Gregoriana, foram seis meses de vários testes, atendimento de inúmeros pedidos e cumprimento de exigências muito particulares, feitas pelo Instituto de Psicologia. Vencidas as várias etapas, a direção decidiu conceder a vaga. De acordo com o sacerdote, a turma é composta por 16 alunos, um candidato por país. “Foi um momento bonito, desafiador, mas sei que o desafio maior está vindo. Estou de alma livre, coração disposto, de mente aberta para aprender, crescer e trabalhar, enfim, desenvolver aquilo que é o chamado de Deus, por meio da Igreja, para mim”, ressalta.


     As aulas são em italiano com leituras em inglês. Padre Wilson vai residir no Colégio Pio Brasileiro em Roma, mantido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. O custo do curso será reduzido graças a um bolsa de 70% ganha junto a Adveniat, uma organização católica da Alemanha. “Favorece para conseguir deixar menos oneroso à Diocese. A riqueza cultural de Roma e a riqueza cultural de estar entre alunos de diversos países, acredito que isso vai enriquecer muito a visão sobre a Igreja, sobre o ser humano, a visão teológica, antropológica da vida humana. Isso vai me ajudar muito”.


    Padre Wilson Morais foi diretor espiritual, em 2015, e reitor do Seminário Propedêutico Mãe da Divina Graça, em Carambeí, de 2016 a 2019. Em 2018, foi eleito presidente da Organização dos Seminários e Institutos Filosófico-Teológicos do Brasil. Em novembro de 2019, integrou ao lado de outros oito sacerdotes do Paraná turma do Curso para Formadores de Língua Portuguesa, em Roma, na Itália, sobre as aplicações práticas da Ratio Fundamentalis Institutiones Sacerdotalis, publicada pelo Congregação para o Clero da Santa Sé, em dezembro de 2016.


     Em fevereiro de 2020 deixou o seminário propedêutico e foi morar no Seminário Maior São João Maria Vianney, onde ajudava na cozinha. Serviu ainda na Paróquia Imaculada Conceição, de Ipiranga, e, em julho, passou a atuar na Paróquia Santa Rita. Em novembro, foi nomeado vigário.


 


Mais


     Padre Wilson é apenas um dos exemplos de sacerdotes que se dedicam ao aprofundamento de determinado campo da fé católica para melhor servir a Igreja. O vigário judicial do Tribunal Eclesiástico Diocesano, padre Athanagildo Vaz Neto, concluiu Mestrado em Direito Canônico pelo Pontifício Instituto de Direito Canônico/Extensão de Londrina (filiado à Universidade Gregoriana de Roma) em dezembro de 2018. Iniciou em 2019, o Doutorado em Direito Canônico na Universidade Católica da Argentina, justamente para atuar no Tribunal. Padre Athanagildo ainda está concluindo, neste semestre, o curso de Psicologia na Faculdade Santana.


     Padre Wellington Marcondes, pároco da Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, em Ponta Grossa, está concluindo o Mestrado em Direito Canônico também pelo Pontifício Instituto Superior de Direito Canônico. Mesma situação do diácono José Claudinei Zampier, da Paróquia Santo Antônio, de Imbituva. Padre Wagner Oliveira da Silva, vigário da Paróquia Menino Jesus, de Reserva, cursa o segundo ano do Mestrado em Direito Canônico pela Pontifício Instituto Superior de Direito Canônico, e Adriana Regina da Silva, da Congregação das Irmãs Missionárias Servas do Espírito Santo, iniciou este ano o curso de mestrado também em Direito Canônico. Padre Jorge Augusto Chuchene, da Paróquia São José, em Ponta Grossa, já é mestre em Direito Canônico. Todos formarão o corpo colegial de juízes do Tribunal Eclesiástico.


      Ainda, padre Rodrigo Ribas cursou Especialização em Cultura e Meios de Comunicação, na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, entre 2016 e 2017. O sacerdote é o atual assessor diocesano da Pastoral da Comunicação. O padre Rafael Moreira, vigário da Paróquia Menino Jesus, de Reserva, iniciou em julho o curso de Mariologia, na Academia Marial de Aparecida em Unidade com a Faculdade Dehoniana de Taubaté (SP).


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Igreja prepara o Natal do amor   |   RCC elege coordenadores setoriais   |   Nota Oficial   |   Imagem de Cristo Rei de praça recebe bênção   |  





Publicado em: 28/09/2021

Sacerdote da Diocese vai cursar Psicologia em Roma

Na turma do primeiro ano, padre é o único brasileiro

 

     Padre Wilson Santos Morais, de 35 anos, vigário da Paróquia Santa Rita de Cássia embarca nessa segunda-feira (27) para Roma, onde ficará por cerca de cinco anos, cursando Psicologia com enfoque no acompanhamento psicoespiritual de pessoas, no Instituto de Psicologia da Pontifícia Universidade Gregoriana. A viagem de estudos já era para ter acontecido, mas acabou adiada em função do agravamento da pandemia. Padre Wilson viajou pela manhã para São Paulo, de onde sairia, às 15 horas, para a Itália. A chegada está prevista para às 11h30 desta terça-feira.


     Em solo italiano, o sacerdote permanece dez dias em isolamento.  As aulas iniciam dia 3 de outubro, com sua participação, possivelmente, de modo remoto. “Eu nunca sonhei ir para a Itália. Não é sonho meu. É uma resposta ao chamado de Deus. Um chamado muito concreto porque é no serviço à Igreja. Não vou para ter um diploma, vou para me capacitar para poder servir a Igreja naquilo que hoje ela enxerga como necessário e pediu para mim”, resume padre Wilson, lembrando que a disponibilidade para os estudos foi colocada ao bispo Dom Sergio Arthur Braschi, em 2015, quando de sua ordenação. “De lá para cá, sempre que me encontrava, Dom Sergio perguntava se estava pensando que área iria me ater. Um dia lhe disse que poderia ser na área da formação de novos padres, já que estava servindo no seminário”, detalha. Enquanto seminarista, o padre havia feito curso de extensão, juntamente com Teologia, na Escola de Formadores, em São Paulo, de 2012 a 2015.


     Definido o objeto do estudo, padre Wilson pesquisou e descobriu que há idade limite para entrar na Universidade de Roma, onde é ofertado um curso diferenciado, com visão multidisciplinar. Dom Sergio concordou. Para ingressar na Universidade Gregoriana, foram seis meses de vários testes, atendimento de inúmeros pedidos e cumprimento de exigências muito particulares, feitas pelo Instituto de Psicologia. Vencidas as várias etapas, a direção decidiu conceder a vaga. De acordo com o sacerdote, a turma é composta por 16 alunos, um candidato por país. “Foi um momento bonito, desafiador, mas sei que o desafio maior está vindo. Estou de alma livre, coração disposto, de mente aberta para aprender, crescer e trabalhar, enfim, desenvolver aquilo que é o chamado de Deus, por meio da Igreja, para mim”, ressalta.


     As aulas são em italiano com leituras em inglês. Padre Wilson vai residir no Colégio Pio Brasileiro em Roma, mantido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. O custo do curso será reduzido graças a um bolsa de 70% ganha junto a Adveniat, uma organização católica da Alemanha. “Favorece para conseguir deixar menos oneroso à Diocese. A riqueza cultural de Roma e a riqueza cultural de estar entre alunos de diversos países, acredito que isso vai enriquecer muito a visão sobre a Igreja, sobre o ser humano, a visão teológica, antropológica da vida humana. Isso vai me ajudar muito”.


    Padre Wilson Morais foi diretor espiritual, em 2015, e reitor do Seminário Propedêutico Mãe da Divina Graça, em Carambeí, de 2016 a 2019. Em 2018, foi eleito presidente da Organização dos Seminários e Institutos Filosófico-Teológicos do Brasil. Em novembro de 2019, integrou ao lado de outros oito sacerdotes do Paraná turma do Curso para Formadores de Língua Portuguesa, em Roma, na Itália, sobre as aplicações práticas da Ratio Fundamentalis Institutiones Sacerdotalis, publicada pelo Congregação para o Clero da Santa Sé, em dezembro de 2016.


     Em fevereiro de 2020 deixou o seminário propedêutico e foi morar no Seminário Maior São João Maria Vianney, onde ajudava na cozinha. Serviu ainda na Paróquia Imaculada Conceição, de Ipiranga, e, em julho, passou a atuar na Paróquia Santa Rita. Em novembro, foi nomeado vigário.


 


Mais


     Padre Wilson é apenas um dos exemplos de sacerdotes que se dedicam ao aprofundamento de determinado campo da fé católica para melhor servir a Igreja. O vigário judicial do Tribunal Eclesiástico Diocesano, padre Athanagildo Vaz Neto, concluiu Mestrado em Direito Canônico pelo Pontifício Instituto de Direito Canônico/Extensão de Londrina (filiado à Universidade Gregoriana de Roma) em dezembro de 2018. Iniciou em 2019, o Doutorado em Direito Canônico na Universidade Católica da Argentina, justamente para atuar no Tribunal. Padre Athanagildo ainda está concluindo, neste semestre, o curso de Psicologia na Faculdade Santana.


     Padre Wellington Marcondes, pároco da Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, em Ponta Grossa, está concluindo o Mestrado em Direito Canônico também pelo Pontifício Instituto Superior de Direito Canônico. Mesma situação do diácono José Claudinei Zampier, da Paróquia Santo Antônio, de Imbituva. Padre Wagner Oliveira da Silva, vigário da Paróquia Menino Jesus, de Reserva, cursa o segundo ano do Mestrado em Direito Canônico pela Pontifício Instituto Superior de Direito Canônico, e Adriana Regina da Silva, da Congregação das Irmãs Missionárias Servas do Espírito Santo, iniciou este ano o curso de mestrado também em Direito Canônico. Padre Jorge Augusto Chuchene, da Paróquia São José, em Ponta Grossa, já é mestre em Direito Canônico. Todos formarão o corpo colegial de juízes do Tribunal Eclesiástico.


      Ainda, padre Rodrigo Ribas cursou Especialização em Cultura e Meios de Comunicação, na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, entre 2016 e 2017. O sacerdote é o atual assessor diocesano da Pastoral da Comunicação. O padre Rafael Moreira, vigário da Paróquia Menino Jesus, de Reserva, iniciou em julho o curso de Mariologia, na Academia Marial de Aparecida em Unidade com a Faculdade Dehoniana de Taubaté (SP).


Diocede Ponta Grossa
O padre na despedida neste domingo, na Paróquia Santa Rita, com o casal Willian e Juliana Serafim e os filhos Cecília, Gustavo, Helena e Pedro   |   Acervo Pessoal

Diocede Ponta Grossa
Padre Wilson: “levo comigo a história do nosso presbitério, levo muitos pedidos, palavras que escutei do Povo de Deus, levo a realidade dos nossos seminários, enfim, levo aquilo que tenho”   |   Acervo Pessoal


Navegue até a sua Paróquia