DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 24/08/2022

Visitação à relíquia surpreende franciscanos

Perto de dois mil devotos de São Francisco foram às igrejas

 
A missa solene com a relíquia aconteceu ontem, à noite A missa solene com a relíquia aconteceu ontem, à noite | Crédito: AssCom Diocese de Ponta Grossa

Somente no dia de ontem (23), na Paróquia Bom Jesus, no bairro de Uvaranas, em Ponta Grossa, calcula-se que aproximadamente mil pessoas tenham visitado a relíquia e a imagem peregrina de São Francisco de Assis. O número refere-se ao total de devotos que vieram para a bênção especial ministrada pelos freis durante todo o dia – a pessoas e animais -  e para a missa solene, às 19h30, celebrada pelo bispo Dom Sergio Arthur Braschi, freis Moacir Nasato, José Ferreira da Silva, José Reimi Pereira Martins e Alessandro Farinasso; padre José Sávio Mariano, pároco da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, da Vila Marina, e, diáconos Valdinei Antônio Miranda, Aluísio Macedo.


     À noite, a igreja estava lotada. Mesmo o problema na rede de energia elétrica, que deixou o presbitério praticamente sem iluminação e o templo sem som, não espantou os devotos. Dom Sergio até se utilizou do contratempo para embasar sua reflexão sobre escuta, atenção e desapego. “A Ordem Franciscana Secular ajuda na promoção do papel do laicato há 800 anos. Ela que, como seu fundador, São Francisco, convida ao desapego das riquezas e ao trabalho pelos necessitados. Aprendamos com o grande São Francisco, que andava e abençoava a todas as pessoas, que viveu muitos momentos de sofrimento, não foi amado, compreendido, mas mostrou que vale a pena tudo deixar, como diz o Evangelho de hoje, para conseguir a pérola, que é o Reino do Céu”, destacou o bispo em sua homilia.


     Dom Sergio fez referência a Santa Rosa de Lima, cuja festa litúrgica foi lembrada ontem. “Primeira santa canonizada na América Latina, Isabel, como se chamava, era linda como uma rosa. Nasceu, como São Francisco, em uma família abastada e preferiu seguir a cruz de Cristo. Nos ensinam como fazer isso plenamente. Aos oito anos, Santa Rosa dormia no chão, em um convite à oração e à penitência. Depois, desabrocha no cuidado com os mais humildes, especialmente, os indígenas. Com seus ensinamentos, São Francisco e Santa Rosa de Lima, eles que souberam escolher, possam interceder pelo bispo, pelos leigos, consagrados e consagradas, para que descubram o verdadeiro caminho do Evangelho”, acrescentou. 


     A relíquia e a imagem peregrina de São Francisco estiveram na Diocese desde o último sábado (20). Somente nos dois primeiros dias de sua exposição, na Catedral Sant’Ana e na Paróquia Imaculada Conceição, aproximadamente 700 pessoas foram conhecê-las. “Superou as expectativas. Foi um acontecimento único em nossas vidas, pois, uma oportunidade dessas, com certeza, não teremos novamente em nossa cidade, ao menos enquanto estivermos por aqui. Era um evento da OFS (Ordem Secular Franciscana), que se tornou algo grandioso e com a participação de muitos fiéis. Confirmou o quanto São Francisco é amado e venerado pelo povo de Deus”, avaliou Renato Pedron, vice-tesoureiro do Regional do Paraná, tesoureiro da Fraternidade Bom Jesus e membro da organização da recepção das relíquias.


     Na celebração, os freis José e Reimi e o diácono Miranda eram da Paróquia Bom Jesus. Freis Alessandro e Moacir do Convento Bom Jesus, e, o diácono Aluísio da Paróquia Imaculada Conceição. O pároco da Bom Jesus, frei José Aparecido Tosta, estava ontem em uma reunião com o Provincial, frei Pedro Cesário Palma, em Vacaria (RS). Logo após o fim da missa, a região ficou totalmente sem energia elétrica. “Tudo é providência! ”, garantia uma devota.


     A relíquia é um pequeno fragmento de osso do fêmur de São Francisco. A imagem junto à capelinha é uma das mais antigas existentes no mundo. Ambas vieram da basílica construída em louvor ao santo, em Assis, na Itália. Sua peregrinação pelo mundo festeja os 800 anos da Ordem Franciscana, completados em 2021. De Ponta Grossa, a relíquia e a imagem seguiram para Guarapuava, onde ficam nos dias 24 e 25. Elas voltam para a Diocese de Ponta Grossa no dia 27. Em Irati, será celebrada uma missa em ação de graças, às 18 horas, na Paróquia Nossa Senhora da Luz, sede da Fraternidade São Leopoldo Mandic. No dia 28, às 10 horas, outra celebração acontece na Capela São Francisco de Assis.


 


 


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Institutos Seculares se reúnem em Ponta Grossa   |   Diocese festeja a Mãe da Divina Graça   |   Igreja participa do desfile de aniversário PG   |   Diocese homenageia PG em seu aniversário   |  





Publicado em: 24/08/2022

Visitação à relíquia surpreende franciscanos

Perto de dois mil devotos de São Francisco foram às igrejas

 

Somente no dia de ontem (23), na Paróquia Bom Jesus, no bairro de Uvaranas, em Ponta Grossa, calcula-se que aproximadamente mil pessoas tenham visitado a relíquia e a imagem peregrina de São Francisco de Assis. O número refere-se ao total de devotos que vieram para a bênção especial ministrada pelos freis durante todo o dia – a pessoas e animais -  e para a missa solene, às 19h30, celebrada pelo bispo Dom Sergio Arthur Braschi, freis Moacir Nasato, José Ferreira da Silva, José Reimi Pereira Martins e Alessandro Farinasso; padre José Sávio Mariano, pároco da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, da Vila Marina, e, diáconos Valdinei Antônio Miranda, Aluísio Macedo.


     À noite, a igreja estava lotada. Mesmo o problema na rede de energia elétrica, que deixou o presbitério praticamente sem iluminação e o templo sem som, não espantou os devotos. Dom Sergio até se utilizou do contratempo para embasar sua reflexão sobre escuta, atenção e desapego. “A Ordem Franciscana Secular ajuda na promoção do papel do laicato há 800 anos. Ela que, como seu fundador, São Francisco, convida ao desapego das riquezas e ao trabalho pelos necessitados. Aprendamos com o grande São Francisco, que andava e abençoava a todas as pessoas, que viveu muitos momentos de sofrimento, não foi amado, compreendido, mas mostrou que vale a pena tudo deixar, como diz o Evangelho de hoje, para conseguir a pérola, que é o Reino do Céu”, destacou o bispo em sua homilia.


     Dom Sergio fez referência a Santa Rosa de Lima, cuja festa litúrgica foi lembrada ontem. “Primeira santa canonizada na América Latina, Isabel, como se chamava, era linda como uma rosa. Nasceu, como São Francisco, em uma família abastada e preferiu seguir a cruz de Cristo. Nos ensinam como fazer isso plenamente. Aos oito anos, Santa Rosa dormia no chão, em um convite à oração e à penitência. Depois, desabrocha no cuidado com os mais humildes, especialmente, os indígenas. Com seus ensinamentos, São Francisco e Santa Rosa de Lima, eles que souberam escolher, possam interceder pelo bispo, pelos leigos, consagrados e consagradas, para que descubram o verdadeiro caminho do Evangelho”, acrescentou. 


     A relíquia e a imagem peregrina de São Francisco estiveram na Diocese desde o último sábado (20). Somente nos dois primeiros dias de sua exposição, na Catedral Sant’Ana e na Paróquia Imaculada Conceição, aproximadamente 700 pessoas foram conhecê-las. “Superou as expectativas. Foi um acontecimento único em nossas vidas, pois, uma oportunidade dessas, com certeza, não teremos novamente em nossa cidade, ao menos enquanto estivermos por aqui. Era um evento da OFS (Ordem Secular Franciscana), que se tornou algo grandioso e com a participação de muitos fiéis. Confirmou o quanto São Francisco é amado e venerado pelo povo de Deus”, avaliou Renato Pedron, vice-tesoureiro do Regional do Paraná, tesoureiro da Fraternidade Bom Jesus e membro da organização da recepção das relíquias.


     Na celebração, os freis José e Reimi e o diácono Miranda eram da Paróquia Bom Jesus. Freis Alessandro e Moacir do Convento Bom Jesus, e, o diácono Aluísio da Paróquia Imaculada Conceição. O pároco da Bom Jesus, frei José Aparecido Tosta, estava ontem em uma reunião com o Provincial, frei Pedro Cesário Palma, em Vacaria (RS). Logo após o fim da missa, a região ficou totalmente sem energia elétrica. “Tudo é providência! ”, garantia uma devota.


     A relíquia é um pequeno fragmento de osso do fêmur de São Francisco. A imagem junto à capelinha é uma das mais antigas existentes no mundo. Ambas vieram da basílica construída em louvor ao santo, em Assis, na Itália. Sua peregrinação pelo mundo festeja os 800 anos da Ordem Franciscana, completados em 2021. De Ponta Grossa, a relíquia e a imagem seguiram para Guarapuava, onde ficam nos dias 24 e 25. Elas voltam para a Diocese de Ponta Grossa no dia 27. Em Irati, será celebrada uma missa em ação de graças, às 18 horas, na Paróquia Nossa Senhora da Luz, sede da Fraternidade São Leopoldo Mandic. No dia 28, às 10 horas, outra celebração acontece na Capela São Francisco de Assis.


 


 


Diocede Ponta Grossa
A missa solene com a relíquia aconteceu ontem, à noite   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
A igreja ficou cheia de devotos franciscanos   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
Freis da paróquia anfitriã, da Igrejinha, padre Sávio e diáconos concelebraram   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
A relíquia e a imagem foram vistas por quase duas mil pessoas na cidade   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
Dom Sergio lembrou o desapego vivido por São Francisco   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa


Navegue até a sua Paróquia