DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros




Na Trilha da Fé
Publicado em: 28/12/2020

A primeira paróquia

2021 vai marcar os 150 anos da chegada dos imigrantes poloneses ao Paraná

 
| Crédito: Acervo Paróquia Nossa Senhora da Luz, Irati

     O ano de 2021 vai marcar os 150 anos da chegada dos imigrantes poloneses ao Paraná. A data será lembrada especialmente na Paróquia Nossa Senhora da Luz, de Irati, onde os dois primeiros párocos eram da etnia polonesa: padres Paulo Warkocz e Tadeu Dziedzic. Quatro dos cinco presbíteros ordenados até hoje na paróquia eram poloneses por origem. Pedro Filipak, inclusive, ordenado a 22 de dezembro de 1945, tornou-se bispo de Jacarezinho, em 1962. Essas são apenas algumas das particularidades da histórica Paróquia Nossa Senhora da Luz, a primeira paróquia a ser criada na Diocese de Ponta Grossa.

     A criação constou do ato nº 1 do bispo Dom Antônio Mazzarotto, assinado em 11 de março de 1931. A paróquia não foi incorporada à divisão territorial da nova diocese, como aconteceu com as 12 comunidades originárias de Curitiba, mas ela foi criada oficialmente. Em Irati, não havia ainda paróquia. O povo era atendido pelos padres da Congregação da Missão, os conhecidos Vicentinos, de Imbituva, cuja paróquia, fundada em 1879, pertencia à Diocese de Curitiba.

     A escolha da padroeira, Nossa Senhora da Luz, deu-se justamente por essa ligação com Curitiba, onde o amor à santa também era grande. Uma escolha que suplantou devoções com a São Miguel Arcanjo, a quem a comunidade polonesa havia construído em honra uma capela, e, a São Vicente de Paulo, santo padroeiro da congregação do padre Sebastião Mendes, por intermédio do qual foi conseguido o terreno para a construção da nova igreja. A área foi doada pelo empresário Emílio Batista Gomes. Nesta época, chegou-se a pensar em Irati como futura sede da neodiocese.

     A imagem original da padroeira, aliás, passou quase 50 anos longe do altar da matriz: de 1918 a 1969. A imagem foi doada por uma família que já residia em Irati, antes de 1904. Quando surgiu a primeira capela, ela foi oferecida para a igreja. Em 1918, algumas senhoras considerando a imagem muito pequena, compraram uma outra, grande, e doaram para a igreja. A original foi deixada na sacristia. Um líder comunitário, conhecido como Coronel Ferreira, pediu a imagem para sua igrejinha e lhe foi dado. Tentou-se, depois, algumas vezes o resgate, mas sucesso. Só em 1969, com uma estratégia de conquista movida pelo frei Clemente Vendramin é que a imagem foi devolvida e recolocada no altar principal.


∗Fontes / Bibliografias:

Batista Neto, Herculano. Nossa Senhora da Luz de Irati 1904-2004. Curitiba: Gráfica Optagraf, 2004.

Bispo dom Sergio Arthur Braschi


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Igreja prepara o Natal do amor   |   RCC elege coordenadores setoriais   |   Nota Oficial   |   Imagem de Cristo Rei de praça recebe bênção   |  





Publicado em: 28/12/2020

A primeira paróquia

2021 vai marcar os 150 anos da chegada dos imigrantes poloneses ao Paraná

 

     O ano de 2021 vai marcar os 150 anos da chegada dos imigrantes poloneses ao Paraná. A data será lembrada especialmente na Paróquia Nossa Senhora da Luz, de Irati, onde os dois primeiros párocos eram da etnia polonesa: padres Paulo Warkocz e Tadeu Dziedzic. Quatro dos cinco presbíteros ordenados até hoje na paróquia eram poloneses por origem. Pedro Filipak, inclusive, ordenado a 22 de dezembro de 1945, tornou-se bispo de Jacarezinho, em 1962. Essas são apenas algumas das particularidades da histórica Paróquia Nossa Senhora da Luz, a primeira paróquia a ser criada na Diocese de Ponta Grossa.

     A criação constou do ato nº 1 do bispo Dom Antônio Mazzarotto, assinado em 11 de março de 1931. A paróquia não foi incorporada à divisão territorial da nova diocese, como aconteceu com as 12 comunidades originárias de Curitiba, mas ela foi criada oficialmente. Em Irati, não havia ainda paróquia. O povo era atendido pelos padres da Congregação da Missão, os conhecidos Vicentinos, de Imbituva, cuja paróquia, fundada em 1879, pertencia à Diocese de Curitiba.

     A escolha da padroeira, Nossa Senhora da Luz, deu-se justamente por essa ligação com Curitiba, onde o amor à santa também era grande. Uma escolha que suplantou devoções com a São Miguel Arcanjo, a quem a comunidade polonesa havia construído em honra uma capela, e, a São Vicente de Paulo, santo padroeiro da congregação do padre Sebastião Mendes, por intermédio do qual foi conseguido o terreno para a construção da nova igreja. A área foi doada pelo empresário Emílio Batista Gomes. Nesta época, chegou-se a pensar em Irati como futura sede da neodiocese.

     A imagem original da padroeira, aliás, passou quase 50 anos longe do altar da matriz: de 1918 a 1969. A imagem foi doada por uma família que já residia em Irati, antes de 1904. Quando surgiu a primeira capela, ela foi oferecida para a igreja. Em 1918, algumas senhoras considerando a imagem muito pequena, compraram uma outra, grande, e doaram para a igreja. A original foi deixada na sacristia. Um líder comunitário, conhecido como Coronel Ferreira, pediu a imagem para sua igrejinha e lhe foi dado. Tentou-se, depois, algumas vezes o resgate, mas sucesso. Só em 1969, com uma estratégia de conquista movida pelo frei Clemente Vendramin é que a imagem foi devolvida e recolocada no altar principal.


∗Fontes / Bibliografias:

Batista Neto, Herculano. Nossa Senhora da Luz de Irati 1904-2004. Curitiba: Gráfica Optagraf, 2004.

Bispo dom Sergio Arthur Braschi


Diocede Ponta Grossa
  |   Acervo Paróquia Nossa Senhora da Luz, Irati

Diocede Ponta Grossa
  |   Acervo Paróquia Nossa Senhora da Luz, Irati

Diocede Ponta Grossa
  |   Acervo Paróquia Nossa Senhora da Luz, Irati


Navegue até a sua Paróquia